Bolsas da Ásia fecham sem direção única, com recorde em Tóquio e perdas na China

O Nikkei subiu 0,82% em Tóquio, ao patamar inédito de 40.913,65 pontos, superando o recorde anterior, estabelecido em 22 de março

Estadão Conteúdo

Telão mostra cotação do índice Nikkei em Tóquio
(REUTERS/Issei Kato/File Photo)
Telão mostra cotação do índice Nikkei em Tóquio (REUTERS/Issei Kato/File Photo)

Publicidade

São Paulo, 04/07/2024 – As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta quinta-feira, à medida que os índices acionários do Japão e de Taiwan renovaram máximas históricas e as chinesas estenderam perdas recentes.

O Nikkei subiu 0,82% em Tóquio, ao patamar inédito de 40.913,65 pontos, superando o recorde anterior, estabelecido em 22 de março. Montadoras e trading houses lideraram os ganhos no mercado japonês, diante da expectativa de lucros maiores gerada pela tendência de fraqueza do iene.

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita 

Continua depois da publicidade

Em outras partes da Ásia, o Taiex avançou 1,51% em Taiwan, ao nível também recorde de 23.522,53 pontos, impulsionado por ações de semicondutores, enquanto o sul-coreano Kospi registrou ganho de 1,11% em Seul, a 2.824,94 pontos, com a ajuda de ações de eletrônicos e defesa, e o Hang Seng teve modesta alta de 0,28% em Hong Kong, a 18.028,28 pontos.

Na China continental, por outro lado, as bolsas foram pressionadas por ações ligadas a consumo e do setor imobiliário. O índice Xangai Composto caiu 0,83%, a 2.957,57 pontos, ampliando perdas do pregão anterior, e o menos abrangente Shenzhen Composto recuou 1,58%, a 1.582,59 pontos, em seu terceiro dia consecutivo de desempenho negativo.

Na Oceania, a bolsa australiana ficou no azul, favorecida por grandes empresas em termos de capitalização de mercado, incluindo mineradoras e bancos. O S&P/ASX 200 mostrou avanço de 1,19% em Sydney, a 7.831,80 pontos.

Continua depois da publicidade

*Com informações da Dow Jones Newswires