Mercados

Índices dos EUA sobem mais de 1% após fala de Trump; bolsas da Europa também sobem

O comportamento dos mercados nesta manhã indica que mais um dia de instabilidade aguarda os investidores

SÃO PAULO – Os mercados mundiais ganharam força no início da tarde desta quinta-feira (19). Após operarem em queda durante praticamente toda a manhã, os índices europeus viraram para alta, enquanto nos Estados Unidos, os ganhos se acentuaram com um discurso do presidente Donald Trump sobre estudos de medicamentos contra o coronavírus.

Às 13h (horário de Brasília), o Dow Jones subia 0,60%, enquanto o S&P 500 registra queda de 0,64%. Enquanto isso, empurrado pela disparada de até 7% das ações da Netflix e Facebook, o Nasdaq sobe 2,30%.

Vale destacar que, a partir da próxima segunda-feira (23), a bolsa de valores de Nova York irá fechar o seu ambiente físico de negociações, operando apenas pelo sistema eletrônico. A decisão ocorre após um trader e um funcionário da NYSE testarem positivo para COVID-19.

Já as bolsas europeias abriram em alta, com os investidores reagindo bem ao pacote de estímulos de 750 bilhões de euros anunciado ontem pelo Banco Central Europeu (BCE). Mas viraram para o negativo e, no fim da manhã, voltaram a subir após o Banco Central da Inglaterra cortar juros e anunciar novos estímulos.

“Tempos extraordinários pedem medidas extraordinárias”, disse Christine Lagarde presidente do BCE, que era contrária a injetar dinheiro nos mercados, após anunciar novos estímulos.

A bolsa de Londres registrava ganhos de 1,30%, enquanto os principais índices da Alemanha e França tinham alta de 2,08% e 2,01%, respectivamente.

No fim da manhã, o Banco da Inglaterra anunciou um corte das taxas de juros para 0,1% e aumentou seu programa de compra de títulos, em um esforço para compensar o impacto econômico do surto de coronavírus.

O comitê de política monetária do banco central votou por unanimidade para reduzir os custos de empréstimos e aumentar o programa de compra de títulos do BOE para 645 bilhões de libras (US$ 752 bilhões), um aumento de 200 bilhões de libras.

Nas commodities, os preços dos contratos futuros de petróleo subiam: o WTI tinha alta de cerca de 17,5% e o Brent valorizava 7%.

Bolsas da Ásia

PUBLICIDADE

As bolsas de valores da Ásia tiveram mais um dia de volatilidade e pânico nesta quinta-feira, com Seul liderando as quedas e afundando cerca de 8%, com acionamento do circuit-breaker.

A bolsa de Hong Kong fechou em baixa de 2,3%, enquanto as da China e do Japão encerraram com desvalorização de cerca de 1%.

O medo do avanço da epidemia do coronavírus apavora os investidores, que fogem para ativos considerados mais seguros, como o dólar – a moeda americana se valoriza frente a todas de países emergentes.

Aproveite as oportunidades para fazer seu dinheiro render mais: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de ações!