Bolsas amanhecem em alta depois do BoJ e com atenção à inflação na Europa; ata do Copom e mais destaques

Falas do presidente do Fed de Atlanta e dados do setor imobiliário são destaques nos EUA

Felipe Moreira

(Shutterstock)

Publicidade

Os principais mercados mundiais amanheceram no azul nesta terça-feira (19), depois que o Banco do Japão (BOJ) decidiu manter sua política monetária ultra-frouxa, conforme amplamente esperado pelo mercado. O BOJ manteve a taxa de juro de referência em -0,1%.

Também está no radar dos investidores a leitura final da inflação da zona do euro em novembro, que ficou em linha com o esperado (segundo consenso LSEG) ao subir 2,4% na comparação anual.

Nos Estados Unidos, saem dados do setor imobiliário, enquanto o presidente do Fed de Atlanta, Raphael Bostic, deve falar sobre a economia americana em evento.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Por aqui, a ata do Copom traz mais indicações sobre o cenário que o Banco Central considera para os próximos passos da política monetária brasileira.

O Banco Central avalia que as expectativas de inflação seguem desancoradas e são um fator de preocupação, com a evolução do mercado de trabalho e da ociosidade da economia sendo fatores relevantes para o comportamento de preços à frente.

“A evolução prospectiva do hiato do produto e o comportamento do mercado de trabalho foram considerados muito relevantes para determinar a velocidade com que a inflação atingirá a meta”, apontou o documento.

Continua depois da publicidade

A ata mostrou que o mercado de trabalho segue aquecido no Brasil, com “alguma moderação na margem”, ressaltando que os dados referentes à contratação no emprego formal se mantêm em níveis elevados e compatíveis com um mercado de trabalho bastante dinâmico.

O documento ressaltou ainda que foi observada ampliação dos ganhos reais de salários no período mais recente, o que pode refletir questões temporárias, sem evidência de pressões salariais.

“O Comitê julgou que é importante seguir monitorando com bastante atenção as diferentes variáveis do mercado de trabalho, em particular com um acompanhamento minucioso da dinâmica de rendimentos reais”, disse.

No campo político, o Congresso Nacional convocou sessão conjunta para esta terça-feira (19), às 12 horas, para analisar o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLN 4/23), aprovado na semana passada pela CMO.

O presidente do BC, Roberto Campos Neto se reúne com Fernando Haddad, Ministro da Fazenda, no final da tarde no Edifício-Sede do Banco Central, em Brasília. Mais tarde, Campos Neto concederá palestra em evento promovido pelo Correio Braziliense.

1.Bolsas Mundiais

Estados Unidos

Com agenda de indicadores relativamente fraca, os índices futuros dos EUA operam com leves ganhos nesta manhã de terça-feira.

Investidores da região devem acompanhar de perto falas do presidente do Fed de Atlanta, Raphael Bostic, e dados do início de construções de novembro.

Veja o desempenho dos mercados futuros:

Ásia

A maioria dos mercados asiáticos fechou no campo positivo, com destaque para alta de mais de 1% do índice Nikkei, do Japão, depois que o banco central do país deixou a principal taxa básica inalterada em sua última reunião do ano.

O Banco do Japão não alterou a sua política de taxas de juro negativas, mantendo a taxa de juro de referência em -0,1%. O banco central também manteve inalterada a sua posição relativamente à política de controle da curva de rendimentos.

O banco central também alertou sobre “incertezas extremamente altas” que afetam a economia do Japão, dizendo que o núcleo da inflação permanecerá acima de 2% durante todo o ano fiscal de 2024.

Europa

Os mercados europeus operam em alta na terça-feira, recuperando-se das negociações fracas do pregão anterior, com a inflação na Zona do Euro no radar dos investidores. O dado ficou em linha com o esperado (segundo consenso LSEG) ao subir 2,4% na comparação anual.

Além disso, os ministros das finanças e os governadores dos bancos centrais do Grupo dos Sete países industrializados estarão reunidos nesta terça-feira.

Commodities

Os preços do petróleo operam mistos, enquanto os petroleiros evitavam o Mar Vermelho após ataques intensificados de militantes Houthi apoiados pelo Irã na região, que interromperam as rotas marítimas internacionais.

As cotações do minério de ferro na China fecharam com leves perdas, com mais trabalhos de manutenção entre as siderúrgicas chinesas reduzindo a demanda, embora estoque baixo e perdas limitadas na reposição de estoque no inverno.

O minério de ferro de referência para janeiro SZZFF4 na Bolsa de Cingapura caía 0,25%, para US$ 132,15 a tonelada.

Bitcoin

2. Agenda

A agenda desta terça-feira traz a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). Na quarta passada, o Copom cortou os juros em 0,5 ponto percentual, para 11,75% ao ano.

Por aqui, a ata do Copom traz mais indicações sobre o cenário que o Banco Central considera para os próximos passos da política monetária brasileira.

O Banco Central avalia que as expectativas de inflação seguem desancoradas e são um fator de preocupação, com a evolução do mercado de trabalho e da ociosidade da economia sendo fatores relevantes para o comportamento de preços à frente.

“A evolução prospectiva do hiato do produto e o comportamento do mercado de trabalho foram considerados muito relevantes para determinar a velocidade com que a inflação atingirá a meta”, apontou o documento.

A ata mostrou que o mercado de trabalho segue aquecido no Brasil, com “alguma moderação na margem”, ressaltando que os dados referentes à contratação no emprego formal se mantêm em níveis elevados e compatíveis com um mercado de trabalho bastante dinâmico.

O documento ressaltou ainda que foi observada ampliação dos ganhos reais de salários no período mais recente, o que pode refletir questões temporárias, sem evidência de pressões salariais.

“O Comitê julgou que é importante seguir monitorando com bastante atenção as diferentes variáveis do mercado de trabalho, em particular com um acompanhamento minucioso da dinâmica de rendimentos reais”, disse.

Brasil

8h: Ata do Copom 

13h30: Roberto Campos Neto, presidente do BC, tem reunião com Ministro Bruno Dantas, Presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), em Brasília, para tratar de assuntos institucionais. (fechado à imprensa)

17h30: Campos Neto se reúne com Fernando Haddad, Ministro da Fazenda, no Edifício-Sede do Banco Central, em Brasília, para tratar de assuntos governamentais. (fechado à imprensa) 

19h: Campos Neto fará palestra no evento “Desafios 2024, O Brasil no rumo do crescimento sustentado”, promovido pelo Correio Braziliense, em Brasília.

EUA

10h30: Início de construções de novembro

18h30: Estoques de petróleo (API) semanal 

3. Noticiário econômico

Congresso deve votar LDO de 2024 nesta terça

O Congresso Nacional analisa, nesta terça, a partir das 12h, o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2024 em sessão conjunta com início previsto ao meio-dia. Trata-se de uma das pautas mais importantes que devem ser analisadas antes do recesso parlamentar, que começa no próximo sábado (23).

O texto havia sido aprovado pela Comissão Mista de Orçamento (CMO), na semana passada.

Companhias aéreas anunciam plano com passagens a R$ 799 em 2024

As três maiores companhias aéreas do Brasil – Azul, Gol e a Latam – anunciaram, na segunda-feira (18), em Brasília, oferta passagens entre R$ 699 e R$ 799 por trecho viajado em 2024. Juntas, irão disponibilizar mais de 25 milhões de bilhetes aéreos.

A medida faz parte da primeira etapa do Programa de Universalização do Transporte Aéreo, detalhado pelo ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, aos lados dos diretores das três empresas, como estratégia para redução dos preços de passagens aéreas e queda dos custos de operações no país, em 2024.

Outras ações apresentadas pelas empresas estão: valores mais acessíveis para bilhetes comprados com até 14 dias de antecedência da data da viagem, inclusão de serviços de remarcação sem cobrança de taxa adicional, oferta de tarifas mais acessíveis para compras realizadas em determinados dias da semana; aumento no número de oferta de voos; ampliação da frota aérea, gratuidade no despacho de bagagens e marcação de assento para compras feitas em cima da hora e aumento na oferta de assentos.

4. Noticiário político

STF forma maioria para regionalizar o piso da enfermagem

O STF (Supremo Tribunal Federal) formou maioria na segunda-feira (18) sobre a constitucionalidade do piso da enfermagem. O piso nacional da enfermagem foi instituído pela Lei 14.434, de 2022, no valor de R$ 4.750 para enfermeiros dos setores público e privado.

A maioria da Corte seguiu o voto do ministro Dias Toffoli. Ele foi acompanhado por Alexandre de Moraes, Cristiano Zanin, Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Nunes Marques. A tese vencida diverge do entendimento do relator, ministro Roberto Barroso. Para ele, o piso correspondia à renumeração mínima. Edson Fachin e Cármen Lúcia o acompanharam.

O entendimento que fica estabelecido, é o de Toffoli, que entendeu que o piso deve ser aplicado de maneira regionalizada, de acordo com negociações entre trabalhadores e patrões, além das regras de cada Estado. Foi fixada também a possibilidade da celebração de dissídios coletivos no setor privado.

5. Radar Corporativo

Casas Bahia (BHIA3)

A Casas Bahia (BHIA3) informou nesta segunda-feira (18) que foi aprovada a não declaração de vencimento antecipado da 8ª emissão de debêntures e dos CRI.

Em contrapartida à não declaração do vencimento das obrigações da companhia referentes aos CRI, a varejista pagará um prêmio flat equivalente a dez pontos base (0,10%), calculado sobre o saldo do Valor Nominal Unitário dos CRI, acrescido da remuneração, que deverá ser pago pela companhia até o 5º dia útil após a data de aprovação do pleito na assembleia.

Cosan (CSAN3)

A Cosan (CSAN3) anunciou nesta segunda-feira (18) a emissão de debêntures simples no valor de R$ 3,29 bilhões e vencimento em 2029, conforme comunicado ao mercado.

Os recursos líquidos obtidos com a emissão serão destinados à gestão ordinária de seus negócios, disse a empresa.