Bolsa reverte trajetória de queda e se firma como melhor investimento do mês

Dos 22 pregões realizados no mês, o índice encerrou seus negócios com desempenho negativo em apenas sete deles

Por  Camila Schoti

SÃO PAULO – Após um início de ano turbulento, marcado pelo fraco desempenho do mercado acionário doméstico, o Ibovespa reverteu a tendência observada em janeiro e encerrou fevereiro como o melhor investimento do mês.

Dos 22 pregões realizados no mês, o índice encerrou seus negócios com desempenho negativo em apenas sete deles. A abrupta redução do juro básico norte-americano e a percepção de que as autoridades norte-americanas trabalhariam para mitigar os riscos ao crescimento econômico favoreceram os negócios.

No contexto de melhoras no cenário externo, associado ao quadro doméstico favorável, o Ibovespa acumulou alta de 6,72%, terminando cotado a 63.489 pontos, próximo de reverter as perdas que se acumulam em 2008.

Perdas cederam espaço para a força compradora

Embora diversos indicadores econômicos divulgados nos Estados Unidos tenham reforçado a percepção de que a maior economia do mundo beira a recessão, o corte no juro básico norte-americano ao final de fevereiro, reforçado pela ata referente àquela reunião – que trouxe indícios de que os juros deverão permanecer em níveis reduzidos enquanto se fizer necessário – favoreceram os negócios no mês.

Internamente, declarações favoráveis de importantes agências de classificação de risco quanto à elevação da economia brasileira ao grau de investimento, associado à desaceleração da inflação registrada por diversos índices de preços, corroboraram o cenário positivo ao mercado acionário.

O mês, porém, trouxe novo recorde nos preços do petróleo. A commodity superou o patamar histórico de US$ 102,00 no mercado norte-americano, refletindo temores de redução da oferta mundial.

Destaques

Entre os destaques no mês, os papéis preferenciais da Gerdau Metalúrgica (GOAU4) subiram 22,99%, para R$ 74,50, impulsionados por reajustes nos preços do aço e vergalhão.

Em contrapartida, no extremo negativo do Ibovespa, as ações preferenciais da GOL (GOLL4) caíram 13,75%, aos R$ 29,28, após os fracos resultados referentes ao quarto trimestre e ao acumulado de 2007, bem como perspectivas ainda pouco favoráveis em função das adversidades do setor aéreo brasileiro.

Câmbio acentuou trajetória de baixa

Diante da melhora nos cenário externo e interno, o dólar intensificou sua tendência de queda, registrada também em janeiro, e encerrou o mês de fevereiro com desvalorização.

A moeda norte-americana, medida pela Ptax calculada pelo Banco Central, recuou 4,37%, para R$ 1,6833. Em termos reais, a perda foi de 4,88%, dado que o IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado) de fevereiro apurou inflação de 0,53%.

O período foi caracterizado pela desaceleração da inflação frente a janeiro, que já havia mostrado arrefecimento na alta dos preços.

Renda fixa

Os CDBs pré-fixados de 30 dias apresentaram retorno de 0,88% em termos nominais, ou retorno positivo de 0,35% em termos reais.

Já o CDI apresentou ganhos de 0,76% no mês. A evolução, descontando a inflação, foi positiva em 0,22%.


























Investimento Fevereiro Real* Janeiro Real**
Ibovespa +6,72%+6,19%-6,88%-7,88%
CDI***+0,76%+0,22%+0,88%-0,21%
CDB ****+0,88%+0,35%+0,88%-0,21%
Poupança+0,52%-0,01%+0,60%-0,48%
Ouro-0,57%-1,09%+8,06%+6,89%
Dólar Paralelo-3,50%-4,01%+2,56%+1,45%
Dólar Ptax-4,37%-4,88%-0,62%-1,69%
IGP-M +0,53% +1,09%

* Deduzida a inflação pelo IGP-M que ficou em 0,53% em fevereiro
** Deduzida a inflação pelo IGP-M que ficou em 1,09% em janeiro
*** Taxa Efetiva Andima
**** Taxa pré 30 dias

Compartilhe