Bolsa mexicana é o destaque de baixa na América Latina

Conteúdo do Portal InfoMoney – Editoria Mercados

Por  Equipe InfoMoney

As principais bolsas latino-americanas fecharam em queda, com exceção do Brasil, nesta segunda-feira. Às 15h49 do horário de Nova York, o Nasdaq Composite apresentava baixa de 0,57%, enquanto o Dow Jones Industrial e o S&P500 registravam altas de 2,00% e 0,94%, respectivamente.
O índice Merval da Bolsa de Buenos Aires fechou em baixa de 0,68%, após a reunião do ministro da Economia, Jose Luis Machinea, com membros do FMI. O Senado deverá discutir amanhã o Orçamento para 2001, que é condição básica do FMI para liberação da linha de crédito. Na semana passada, o Orçamento foi aprovado, depois de muitas discussões e algumas modificações, pela Câmara dos Deputados, e, durante essa semana, os senadores da oposição tentaram prorrogar ao máximo da aprovação. Nesta segunda-feira, o chefe de gabinete argentino, Chrystian Colombo, declarou que a aprovação do Orçamento do ano que vem é importante para a aceleração das negociações do pacote de ajuda externa do FMI, evitando que a blindagem financeira seja postergada para depois do recesso das festas de final de ano.
Os destaques de baixa ficaram para as ações da siderúrgica Siderar (-6,44%), da Pecon Energy (-6,34%) e da Acindar (-3,85%). Por outro lado, as maiores altas entre os componentes do índice Merval ficaram para as ações da Telecom Argentina (2,37%), da Repsol YPF (1,24%) e da Atanor Industria Química (1,04%).

O índice IPC da Bolsa do México encerrou o pregão em queda de 2,11%, no primeiro dia do mandato do novo presidente Vicente Fox. Os investidores estão preocupados com as dificuldades que o novo presidente mexicano enfrentará para aprovar leis no Congresso, após os partidos da oposição terem criticado o seu discurso de posse na sexta-feira. Vicente Fox precisa aprovar o Orçamento para 2001, na Câmara dos Deputados e no Senado, até o final do mês.
As maiores quedas entre os componentes do índice IPC ficaram para as ações do Grupo Bimbo (-5,63%), da Television Azteca (-5,41%) e do Grupo Industrial Alfa (-5,22%). Contrariando a tendência da bolsa, os destaques de alta ficaram para as Empresas ICA (6,34%), para Grupo Financiero Banorte (5,39%) e para o Grupo Financiero Banamex (3,23%).

O ISBVL da Bolsa de Lima fechou em baixa de 0,14%, com destaque para o setor financeiro. Este setor tem tido um desempenho bastante fraco desde o início de novembro, quando a instabilidade política no Peru se intensificou. O ex-presidente Fujimori, que renunciou a presidência peruana no mês passado, está sendo acusado de corrupção e declarou que não voltará ao Peru para depor. Atualmente, Fujimori está no Japão, onde se encontra desde a sua renúncia há duas semanas.






















Outros mercados: Brasil Ibovespa 0,54%
Colômbia IBB-0,24%
Chile IPSA 0,89%
Venezuela IBVC 3,13 %

Compartilhe