Comentário Diário

Bolsa espanhola lidera perdas na Europa, com forte queda do Santander

Banco vê ações caírem após divulgação de resultado trimestral; setor bancário pressiona outros mercados, como os de Londres e Paris

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO A manhã desta quinta-feira (31) é marcada pelo sinal negativo nas negociações europeias, em meio a resultados trimestrais pouco animadores na região e indicadores decepcionantes nos EUA.

Nesta manhã o destaque negativo fica por conta das ações do Santander, que se desvalorizam em 2,89% depois do lucro do banco ficar abaixo do esperado pelo mercado no último trimestre de 2012 e a instituição aumentar suas provisões para possíveis perdas. Aliás, o índice Ibex 35, que segue as negociações de Madri, apresenta as piores perdas do dia: queda de 1,88%.

O setor bancário também mostra desempenho ruim em outros mercados, como o Barclays (-1,85%) e o RBS (-2,07%) no Reino Unido, o Credit Agricole (-2,57%) e o Société Générale (-2,06%) na França.

A exceção fica por conta do Deutsche Bank, que vê suas ações avançarem apesar do banco anunciar perdas de € 2,17 bilhões nos últimos meses do ano passado. Segundo o banco, esse fraco desempenho se deve a uma limpeza na instituição, que se desfez de ativos de risco e encerrou disputas legais.

A região também é pressionada pelo mercado norte-americano. Na véspera, os EUA anunciaram uma decepcionante contração de 0,1% no PIB (Produto Interno Bruto), enquanto o mercado aguardava um avanço de 1,0%.

Nesta manhã, os contratos futuros norte-americanos, com poucas oscilações, ainda não apresentam nenhuma trajetória clara. Mais tarde os investidores avaliarão alguns dados importantes, como os pedidos semanais de auxílio-desemprego, a inflação de dezembro e a atividade industrial deste mês, medida pelo Chicago PMI.

Entre os poucos dados positivos desta manhã, o desemprego na Alemanha caiu em janeiro, a primeira queda mensal em dez meses. Enquanto o mercado esperava uma alta no desemprego, o número de pessoas sem emprego caiu em 16 mil, para 2,92 milhões.