Perspectivas

“Bolsa do Brasil é uma boa alternativa de investimento”, avisa economista

Depois de anos de performance sofrida, bolsa brasileira pode voltar a subir, destaca André Perfeito, da Gradual Investimentos

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A bolsa brasileira é uma boa alternativa de investimentos, salienta André Perfeito, economista-chefe da Gradual Investimentos. Depois de alguns anos de sofrimento – andando de lado -, a expectativa é que as ações listadas na BM&FBovespa voltem a ter um excepcional período.

“A bolsa brasileira deve subir amparada na queda da taxa básica de juros, mas não só por isso”,  avalia o economista. Depois de alguns anos performando pior do que as principais bolsas mundiais e emergentes, Perfeito acredita que os papéis nas bolsas estão baratos e poderão ter uma recuperação interessante nos próximos anos – amparados no crescimento da economia nacional.

Mesmo com um cenário desafiador, que já fez Perfeito a cortar a sua expectativa para o PIB (Produto Interno Bruto) para o ano que vem, esse desconto parece desconsiderar a recuperação que a economia global pode passar nos próximos anos – já que desde 2008 o cenário permanece obscuro nos EUA e Europa. Mas cuidado com dois fatores que podem atrapalhar os seus investimentos: a forte exposição do Ibovespa ao cenário externo e a grande liquidez da bolsa – que acaba sendo uma faca de dois gumes. 

Ibovespa não reflete a economia brasileira
Olhar para o Ibovespa não permite entender as mudanças da economia brasileira, e procurar investimentos lastreados no índice pode não ser o ideal para o momento. Das 400 empresas listadas na BM&FBovespa, somente 63 estão no índice. “O problema é que somos muito expostos às commodities”, avalia Perfeito.

As três empresas mais representativas do índice, Vale (VALE3; VALE5), Petrobras (PETR3; PETR4) e OGX Petróleo (OGXP3) são produtoras de materiais básicos – e o preço deles geralmente são formados lá fora e refletem os fundamentos da economia global, não da nacional. “Assim, o Ibovespa não representa com precisão as qualidades da economia brasileira, e sofremos por conta da piora internacional”, afirma. 

Um exemplo contrário é o setor de educação, um dos grandes destaques de ganhos de 2012, com altas que superaram 100%. Nenhuma das quatro empresas do setor listadas na bolsa estão no índice. Consequentemente, esses ganhos extraordinários não foram computados pelos investidores que olham apenas para as empresas do índice.

Liquidez também atrapalha
Já a liquidez da bolsa – uma das que mais gira dinheiro no mundo – pode ter sido causa da performance ruim e pesar na bolsa nos próximos anos, caso eles sejam turbulentos lá no exterior, acredita Perfeito. “A bolsa brasileira tem uma liquidez bastante alta, e isso permite os estrangeiros realizarem uma retirada muito rápida”, destaca. 

Para ele, isso pode ser prejudicial conforme investidores institucionais estrangeiros, bastante significativos para a bolsa brasileira, precisem se desfazer de ativos por aqui para cobrir eventuais prejuízos no exterior. “A bolsa acaba tendo uma porta de saída muito fácil e isso não acontece na bolsa do México, por exemplo”, finaliza o economista.