BofA Merrill Lynch reduz preço-alvo das ações da MMX para R$ 9,00 após acordo

Segundo os analistas, cada ação vendida à Wuhan apresentou 45% de desconto à cotação atual, sendo vendida a US$ 3,93

SÃO PAULO – A equipe do Bank of America Merrill Lynch reduziu o preço-alvo das ações da MMX (MMXM3) após conclusão de transações com a Wuhan na última segunda-feira (30). O valor foi reduzido para R$ 9,00, contra R$ 10 por ação anteriormente estipulado.

Algumas mudanças consideradas fundamentais para os analistas foram utilizadas de argumento para a menor projeção.

Emissão de ações para financiar capex

Segundo os analistas, a emissão total de ações deveria ser de US$ 660 milhões (US$ 400 milhões para a Wuhan e US$ 260 milhões para acionistas minoritários) para financiar o plano de investimentos da empresa.

PUBLICIDADE

“Na medida que o grupo EBX concede o direito de preferência à Wuhan, a participação da EBX deve cair para 42% após a conclusão do negócio, enquanto Wuhan terá 21,5%. O valor recebido será integralmente utilizado para financiar a expansão na MMX Sudeste, que estimamos um total de capex de US$ 1,1 bilhão até 2014”.

A dívida total líquida da MMX deve cair para aproximadamente US$ 450 milhões após a injeção de capital, mas o valor será revertido totalmente para o capex da empresa.

Para os analistas, “o negócio é positivo para a MMX, mas o maior ponto negativo foram os descontos do preço da ação. Baixamos o preço-alvo de R$ 10 para R$ 9,00 por ação para dar conta desta diluição. E mantemos nossa avaliação underperform para a MMX nos níveis atuais”.

Acordo da MMX com a Wuhan

A MMX e a Wuhan confirmaram na segunda-feira um contrato de subscrição de ações em que a mineradora receberá injeção de US$ 400 milhões, concedendo participação de aproximadamente um quarto de seu capital social e contrato de compra e venda de minério de ferro da produção da MMX Sudeste.