Agro

Boa Safra (SOJA3) prefere ganhar fatia de mercado a expandir margem; ações fecham em queda após balanço

Em 2021, empresa diz ter conquistado 0,4 p.p. de fatia de mercado, passado de 5,7% em 2020 para 6,1% no ano passado

Por  Augusto Diniz -

O CEO da Boa Safra Sementes (SOJA3), Marino Colpo, disse nesta quarta-feira (30) que a prioridade da companhia “é ser saudável, gerar caixa, mas também ganhar market share”.

“Entre fazer margem ou aproveitar o bom momento para ser uma empresa bem capitalizada, para ganhar market share”, a segunda opção é a escolha, disse. “É o foco da companhia (ganhar mercado) até 2026”, acrescenta.

As declarações ocorreram durante teleconferência de resultados do 4º trimestre para comentar os resultados. A Boa Safra (SOJA3) teve queda de 20,2% no lucro de outubro a dezembro do ano passado.

As ações da Boa Safra Sementes fecharam em queda na sessão pós-resultado, com baixa de 2,46%, a R$ 13,85.

Em 2021, a Boa Safra afirma ter conquista 0,4 p.p. de fatia de mercado (market share), passado de 5,7% em 2020 para 6,1% no ano passado. A margem Ebitda da empresa caiu 22,26% no ano passado.

Custos e expansão das sementes com tecnologia

Marino Colpo foi questionado no encontro virtual com analistas se o aumento de custos frearia o avanço da tecnologia agregada à semente, um negócio que cresceu bastante na companhia em 2021.

“Teve aumento forte de custos. Ele (o produtor rural) sabe que vai ser uma safra cara, então vai querer ter uma semente de qualidade. A gente tem visto isso”, afirmou o CEO.

O executivo acredita que as oportunidades são imensas na produção de sementes de soja com alta tecnologia.

As vendas de sementes pela empresa em 2021 foi 13% maior do que o ano anterior. Já as sementes de biotecnologia, o avanço entre 2020 e 2021 alcançou 35,5%. O TSI, que é o tratamento de semente industrial, o crescimento no ano passado foi de 75%.

A biotecnologia é o melhoramento genético da semente, criando mais resistência, por exemplo, a lagartas (reduzindo o uso de defensivos) e com maior tolerância a herbicidas.

O chamado TSI é a aplicação de produtos de forma automatizada, por meio de equipamentos de alta tecnologia de controle de fungos e doenças iniciais na cultura.

O preço sobe também com a mudança do uso da semente tradicional para de alta tecnologia. Um big bag de semente tradicional tem custo de cerca de R$ 5 mil; pula para até R$ 10 mil reais a big bag com a biotecnologia e cerca de R$ 12 mil com biotecnologia e o TSI.

Iniciou das obras de CDs em Sorriso (MT) e Balsas (MA)

Marino Colpo informou ainda que a empresa iniciou a construção de centros de distribuição (CDs) em Sorriso (MT) e Balsas (MA). Ambos empreendimentos devem entrar em operação ainda esse ano.

O executivo informou também a conclusão das expansões das unidades industriais de Cabeceiras (GO) e Buritis (MG). A planta de Jaborandi (BA) colocou em testes, esta semana, a primeira linha de produção e a segunda entra em operação no início de abril.

No IPO (oferta pública inicial de ações) feito pela empresa em abril de 2021, o plano de expansão fazia parte do projeto da empresa para a abertura de capital.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe