Capitalização

BNDESPar e EBX negam tratativas para capitalização de empresas

No início de outubro, Eike afirmou que até o fim do ano entrarão US$ 2 bilhões no caixa de seu conglomerado de empresas

SÃO PAULO – O braço de participações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDESPar) e o Grupo EBX, do empresário Eike Batista, negaram na segunda-feira (10) que existam negociações em curso para a capitalização de empresas do conglomerado.

A última edição da revista Veja informou que o BNDESPar está negociando com Eike para a compra de fatias em suas empresas de capital aberto.

“A BNDESPAR está permanentemente avaliando oportunidades de investimento. Mas, no momento, e especificamente em relação ao Grupo EBX, não há tratativas negociais em curso para a capitalização de empresas”, informou o BNDES em nota.

O Grupo EBX divulgou comunicado em que também nega qualquer negociação. “Especificamente em relação à nota da Veja sobre investimentos do BNDES, não há, no momento, qualquer acordo formal versando sobre a capitalização de empresas do Grupo pelo BNDESPar”, afirma.

Segundo a coluna Radar, da Veja, “pelo que está sendo tratado, o BNDESPar faria um aumento de capital nas empresas ‘X’, diluindo todos os acionistas, inclusive Eike”.

A nota não cita quais empresas estariam envolvidas na eventual negociação.

No início de outubro, Eike afirmou que até o fim do ano entrarão 2 bilhões de dólares no caixa de seu conglomerado de empresas. Em apresentação a executivos, o empresário afirmou que o caixa da EBX, de cerca de 9 bilhões de dólares, poderia receber uma injeção adicional de capital, mas não revelou de onde o dinheiro viria.

Em março, a empresa de desenvolvimento e investimento estratégico de Abu-Dhabi Mubadala anunciou acordo para investir 2 bilhões de dólares na EBX. Depois, em maio, Eike vendeu uma participação de quase 1 por cento da EBX para o Abu Dhabi Investment e a General Electric por 300 milhões de dólares.