Ganhando forças

Blue chips fazem Ibovespa cair nesta tarde, ignorando bom PIB dos EUA

Índice limita perdas depois da abertura das bolsas norte-americanas, impulsionadas pelo PIB

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Depois de duas fortes altas que levaram o Ibovespa para perto dos 61.000 pontos, o Ibovespa respira com queda de 0,18% por volta das 13h20 (horário de Brasília), atingindo os 60.890 pontos. O índice, porém, vai ganhando força depois da abertura das bolsas norte-americanas, que sobem com os números positivos da agenda por lá – incluindo a expansão acima do estimado do PIB (Produto Interno Bruto) no 3º trimestre.

No momento pesa o desempenho das 6 principais ações do índice nacional: nenhuma delas sobe. Vale (VALE5), Petrobras (PETR4), OGX Petróleo (OGXP3), Itaú Unibanco (ITUB4) e Bradesco (BBDC4) se encontram no negativo – embora apenas esta útltima registre perdas superiores à 1% -, enquanto a PDG Realty (PDGR3) permanece estável. A queda de mais de 3% da 8ª ação mais pesada, a BM&FBovespa (BVMF3) também ajuda a deixar o índice no negativo. 

Os investidores continuam alertas com relação às negociações entre políticos norte-americanos. Membros da administração de Obama disseram à imprensa internacional na véspera que as negociações com o republicano John Boehner não mostram evolução.

A divergência entre eles é, principalmente, sobre o aumento de impostos. Enquanto Obama quer encargos mais altos para salários acima de US$ 400 mil, Boehner quer apenas para aqueles que ganham mais de US$ 1 milhão.

Se não chegarem a um acordo até o fim deste ano, um programa de US$ 600 bilhões, conheicdo como abismo fiscal e que envolve corte de gastos e aumento de impostos, entrará automaticamente em vigor logo em janeiro.

Agenda norte-americana
A terceira prévia do PIB dos Estados Unidos referente ao terceiro trimestre de 2012 apontou que a economia teve avanço de 3,1% em bases anuais, ficando acima das projeções dos analistas, que esperavam uma expansão de 2,7% na atividade econômica.

PIB brasileiro a 1%
Já por aqui o Banco Central cortou a estimativa para o PIB brasileiro, faltando apenas 11 dias para terminar o ano. Antes projetado em 1,6%, agora o crescimento foi revisto para 1% neste ano, conforme publicado no Relatório Trimestral de Inflação.

Por aqui o fim da última tarde foi marcado por alguns estímulos. O ministro da Fazenda Guido Mantega desonerou a folha de pagamentos para o comércio varejista, em uma renúncia de R$ 1,27 bilhão no próximo ano e de R$ 2,1 bilhões em 2014, assim como estendeu a redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para carros, eletrodomésticos, móveis e materiais de construção.