Em mercados / bitcoin

PF cumpre 10 mandados de prisão em empresa que investia em criptomoedas no Rio Grande do Sul

Empresa supostamente realizou um esquema de pirâmide com seus clientes para enriquecimento dos sócios

Bitcoin
(Shutterstock)

SÃO PAULO - A Polícia Federal e a Receita Federal foram às ruas nesta terça-feira (21) pela manhã no âmbito da Operação Egyto, que investiga supostos esquemas de pirâmide realizados pela Indeal, que investe em criptomoedas no Rio Grande do Sul. Foram cumpridos dez mandados de prisão preventiva e 25 de busca e apreensão em cinco cidades gaúchas e em Santa Catarina e São Paulo, de acordo com notícia do jornal Zero Hora

O esquema investigado funcionava com a captação de recursos de terceiros para investimento em moedas digitais como o Bitcoin. A empresa prometia retorno de 15% logo no primeiro mês de aplicação. 

Uma das contas da Indeal teria recebido créditos de mais de R$ 700 milhões entre agosto de 2018 e fevereiro deste ano. Em alguns casos, os sócios da companhia tiveram evolução patrimonial de menos de R$ 100 mil para dezenas de milhões de reais em um ano. Veículos de luxo foram apreendidos nas residências dos investigados para cobrir os danos ao patrimônio das vítimas. 

Documentos descobertos durante as buscas mostravam que os empresários prometiam a compra de criptomoedas, mas usaram o dinheiro dos clientes para enriquecimento pessoal.  

Invista em criptomoedas com segurança. Abra uma conta na XDEX, primeira exchange com TAXA ZERO para Bitcoin.

 

Contato