Em mercados / bitcoin

Bitcoin perde a barreira dos US$ 5 mil e desaba mais de 30% em uma semana

Moeda recua 16% nesta terça-feira

Bitcoin
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Ao marcar queda de 16% na manhã de terça-feira, segundo dados da Coindesk, o Bitcoin acaba de perder a barreira dos US$ 5 mil e retorna para os níveis verificados entre setembro e outubro de 2017. Com isso, a criptomoeda acumula desvalorização de mais de 30% em uma semana, movimento engatilhado após os dois hardforks na rede Bitcoin Cash na última quinta-feira (15).

Depois de muita expectativa e polêmica, na semana passada foi executada a atualização do protocolo do Bitcoin Cash. Com isso nasceram duas novas criptomoedas: Bitcoin Cash ABC (BCHABC) e Bitcoin Cash SV (BCHSV). Neste sentido, estamos vendo "troca de mão" entre os usuários, gerando uma derrocada dos preços do Bitcoin e uma verdadeira "guerra cripto" nas palavras de Brian Kelly, CEO da BKCM, em entrevista para a CNBC.

"Quando você atualiza seu software, geralmente todos concordam. Mas, neste caso em particular, nem todos concordaram. Então, nós temos uma guerra cripto e as pessoas começam a vender preocupadas", afirmou Kelly para a rede norte-americana de notícias. Segundo o especialista e apresentador do programa Bloco Cripto, Safiri Felix, o que se vê é um "Panic Selling" (movimento irracional de venda de ativos).

Aproveite a forte queda do Bitcoin para investir com segurança e baixo custo: abra uma conta gratuita na XDEX

"O mercado estava muito tempo operando perto do suporte e a perda de importantes suportes disparou uma onda de ordens de stop e arrastou tudo", explica ele. Ou seja, o que se vê são investidores em pânico após um movimento de queda.

Em busca de um porto seguro

Com o pânico tomando conta do mercado, estamos vendo uma fuga para as stablecoins, como aponta a análise do site especializado BTCSoul. Por serem criptomoedas desenvolvidas para manter um valor estável em uma moeda fiduciária, muitos traders veem nelas uma espécie de porto seguro em tempos de crise, sendo o Tether o caso mais famoso de stablecoins.

O Tether (USDT) é um token pareado com o dólar que, de forma centralizada, representa uma moeda totalmente digital e com valor estável. O USDT é construído em um protocolo chamado de Omni Protocol que fica em uma camada superior a do Bitcoin, ou seja, utiliza a base do blockchain do Bitcoin porém com características diferentes que foram construídas em uma camada superior de código.

Segundo dados do CoinMarketCap, o volume de negociações de USDT vem crescendo nos últimos tempos e atualmente está na faixa de US$ 5,8 bilhões, perdendo somente do movimentado no mercado de Bitcoin, onde a cifra está atualmente em US$ 8,1 bilhões.

 

Contato