Em mercados / bitcoin

Tether queima 500 milhões de tokens USDT

Nas últimas semanas houve grandes influxos de USDT para o Tesouro, particularmente após a criptomoeda perder a paridade com o dólar americano semana passada em meio a perguntas sobre o acesso da Tether a serviços bancários

Tether
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Tether, a empresa por trás da stablecoin lastreada ao dólar que possui o mesmo nome, anunciou pela sua conta no Twitter na última quarta-feira (24) que destruíram 500 milhões de tether (USDT) tokens.

Antes esses tokens eram armazenados em uma conta conhecida como “Tether treasury” (Tesouro da Tether). Nas últimas semanas houve grandes influxos de USDT para o Tesouro, particularmente após a criptomoeda perder a paridade com o dólar americano semana passada em meio a perguntas sobre o acesso da Tether a serviços bancários.

Segundo a matéria noticiada pela CoinDesk, de 14 de outubro, quando o USDT passou a ficar abaixo de US$1,00, a 23 de outubro, 680 milhões de USDT foram transferidos para a companhia que controla a carteira do Tesouro. Todas essas transferências vieram do endereço de uma carteira controla pela Bitfinex, uma das maiores corretoras de criptomoedas do mundo que utiliza o Tether quando falamos de posse e gerenciamento dos ativos em sua plataforma.

O balanço da cold wallet (carteira offline) da Bitfinex chegou a cair cerca de 100.000 bitcoins desde o começo de setembro, levando o público a especular que a corretora vem gastando seus bitcoins com o a intenção de tirar tether do mercado – talvez com o objetivo de impulsionar a taxa de câmbio de volta para a merca de US$1,00, ou talvez até mesmo com a intenção de sair complemente do negócio da stablecoin.

Como resultado dessas transferências, a oferta de tethers em circulação caiu em torno de ¼ em apenas uma semana e meia, para aproximadamente $2 bilhões. Agora, muito desses tokens além de terem sido retirados de circulação, foram “queimados” ou destruídos pela empresa.

Kasper Rasmussem, diretor de comunicações da Bitfinex, afirmou que a ação “não tem nada a ver com defender a paridade com o dólar”, já que tanto a corretora quanto a Tether garantem resgates com paridade de 1-para-1. Ele ainda negou que a Tether está intencionalmente diminuindo a oferta para o mercado.

Os tokens são retirados de circulação “quando a quantidade circulante excede a quantidade necessária para a Bitfinex ou a Tether operar”, Rasmussen disse, e a razão de maioria dos tokens destruídos virem da carteira da Bitfinex é porque a “Bitfinex é um dos principais clientes da Tether”.

Em seu anúncio feito nesta quarta-feira, a Tether disse que não queimou todos os USDT na conta do Tesouro, e que cerca de 466 milhões de USTD permanecem na conta “como uma medida preparatória para futuras emissões do USTD.”

Realmente foi um resgate?
O anúncio caracterizou as transferências de USDT para o Tesouro como um “resgate”, um processo no qual a Tether descreveu em seu white paper original.

O relatório de 2016 especifica que aqueles que possuírem USDT podem resgatar seus tokens por dólares americanos diretamente com a empresa. A Tether alega que para todo token USTD há um dólar americano depositado na conta da empresa, mas ainda não convenceu muitos céticos de que a criptomoeda de fato possui totalmente essa garantia.

Um ativista anônimo que vai totalmente contra o Tether conhecido como “Bitfinex’ed”, entretanto, contestou a caracterização feita pela Tether das transferências para o Tesouro como um “resgate”, escrevendo: “Nenhuma pessoa veio a frente e afirmou que converteu tethers em dólares e recebeu uma transferência bancária vinda da Tether.”

Rasmussen alegou o contrário, dizendo a CoinDesk: “Sim, clientes diretos da Tether tem a possibilidade de resgatar seus USDT pela Tether Ltd.”

Mesmo após seu posicionamento, muitos outros também alegaram que não é possível resgatar os seus USDT tokens para dólares pela Tether.

Quer investir em Bitcoin com taxa ZERO e atendimento 24 horas? Clique aqui e abra sua conta na XDEX

 

Contato