Em mercados / bitcoin

Yale investe em fundo de criptomoeda que já arrecadou US$ 400 milhões

Fundos de universidades americanas possuem cerca de US$ 550 bilhões em ativos, e Yale é a segunda maior em ensino superior, ficando atrás apenas de Harvard

Carteira criptomoedas
(Shutterstock)

A Universidade de Yale, uma das mais renomadas universidades americanas, que já chegou a investir em praticamente tudo, desde títulos porto-riquenhos até madeira vinda de New Hampshire, está entrando no mercado de criptomoedas.

Referência global em ensino superior, a universidade está entre os investidores que ajudaram um novo fundo focado em ativos digitais a arrecadar US$400 milhões, segundo uma das fontes que está envolvida com o projeto, como noticiado pela Bloomberg.

A hora de investir em ações é agora: abra uma conta na Clear com taxa ZERO de corretagem!

O fundo, chamado de Paradigm, foi recentemente criado pelo co-fundador da Coinbase Inc., Fred Ehrsam, antigo sócio da Sequoia Capital Matt Huang, e Charles Noyes, ex-funcionário de um fundo de criptomoeda conhecido como Pantera Capital.

Yale, que possui um fundo universitário de quase US$ 30 bilhões gerenciado por David Swensen, está entre as poucas grandes instituições que investem no mercado de criptomoedas, mercado esse que sofreu uma queda expressiva após o boom impressionante em 2017.

Enquanto uma onda de capital institucional poderia reverter essa baixa nesse mercado, novos participantes se sentem desencorajados a entrar devido a manipulação de mercado e pela falta de regulação. Aproximadamente, 96% das fundações que responderam uma pesquisa feita pela empresa de consultoria NEPC em fevereiro desse ano afirmaram que não investem em moedas digitais.

Modelo de Investimento

A participação de Swensen em ativos criptografados é significativa por ele ser considerado um dos pioneiros em investimento institucional, tendo administrado um dos fundos universitários mais observados pelo mercado e que obteve o melhor desempenho por três décadas. Outros já tentaram replicar o seu modelo de investimento, no qual favorece aplicações de longo prazo em ativos menos líquidos, incluindo aplicações em capital privado.

Fundos de universidades americanas possuem cerca de US$ 550 bilhões em ativos, e Yale é a segunda maior em ensino superior, ficando atrás apenas de Harvard. Sob a liderança de Swensen, Yale já recebeu em média um retorno de 11,8% pelos últimos 20 anos.

Quase 60% dos ativos de Yale no ano de 2019 estão direcionados para investimentos alternativos, incluindo capital de risco, hedge funds e aquisições alavancadas em empresas, segundo a universidade.

Estágio Inicial

A Paradigm, que conta com a Sequoia Capital como investidor, planeja investir em projetos focados em criptomoedas, novos blockchains e corretoras que ainda estão em seu estágio inicial. Além de investir diretamente em ativos digitais, diversos fundos de criptomoedas investem em outros fundos e compram participações em companhias envolvidas com a tecnologia blockchain.

Yale é um investidor de longa data na Andreessen Horowitz, que recentemente lançou um fundo de US$ 300 milhões dedicado a criptomoedas. Yale também chegou a investir nesse fundo, informou a CNBC anteriormente, citando fontes não identificadas.

 

Contato