Em mercados / bitcoin

Bitcoin desaba e criptomoedas perdem US$ 25 bi após estudo afirmar que disparada de 2017 foi manipulada

De acordo com o relatório, a alta foi causada em grande parte por operações de alguns grandes players negociando outra moeda, o tether

Bolha do Bitcoin
(Shutterstock)

SÃO PAULO - O Bitcoin e as principais criptomoedas do mundo voltaram a cair forte nesta quarta-feira (13) após um estudo da Universidade do Texas afirmar que o rali de mais de 1.000% da maior moeda digital foi manipulado. Com este nova queda, o mercado perdeu mais US$ 25 bilhões de valor nas últimas 24 horas, somando à derrocada de US$ 42 bilhões do fim de semana (veja mais clicando aqui).

Os autores do estudo, o professor de finanças da Universidade do Texas John Griffin e o estudante Amin Shams, tem fama por já terem encontrado outras fraudes no mercado financeiro. De acordo com o relatório, a alta foi causada em grande parte por operações de alguns grandes players negociando tether, uma moeda digital que acompanha o preço do dólar.

O estudou analisou o fluxo de criptomoedas entrando e saindo na Bitfinex, umas das maiores exchanges do mundo, e identificou padrões que indicam que alguns players inflaram os preços na corretora, mesmo quando o valor do bitcoin estava caindo em outras exchanges.

O mecanismo usava o tether, que foi criado pelos donos da Bitfinex, para comprar outras moedas. Segundo o estudo, pelo menos metade dos movimentos de alta em 2017 aconteceram poucas horas depois de um grande fluxo da exchange para outras corretoras - a preços inflados -, principalmente quando a cotação do bitcoin estava caindo.

O CEO da Bitfinex, porém, nega o esquema. Segundo JL van der Velde, "nem a Bitfinex nem o Tether estão envolvidos ou já se envolveram em qualquer tipo de manipulação de preço ou de mercado, e as emissões não podem ser usadas para sustentar o preço do Bitcoin ou de qualquer outra moeda".

No programa "Bloco Cripto" desta quarta, o especialista Safiri Felix explicou um pouco deste persistente movimento de queda do Bitcoin e outras criptomoedas e ainda ressaltou que a tendência, por enquanto, é que o movimento de correção deve continuar. Confira a análise completa:

 

Contato