Em mercados / bitcoin

Bitcoin afunda 8% após operação da polícia contra a maior corretora da Coreia do Sul

Exchange é investigada por fraude e notícia afeta todo o mercado de criptomoedas

Bitcoin
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Apesar do preço não refletir, os últimos dias foram marcados por um maior otimismo dos analistas em relação ao bitcoin, com grandes expectativas de uma retomada das altas. Mas nesta sexta-feira (11) os investidores foram pegos de surpresa com uma forte queda da maior criptomoeda do mundo após promotores invadirem a UpBit, a maior bolsa de criptomoedas da Coreia do Sul.

Por volta das 13h30 (horário de Brasília), o Bitcoin tinha perdas de 7,79%, para US$ 8.606, seu menor valor desde 20 de abril, segundo o índice de preços da CoinDesk. Em reais, a queda era de 7,67% no mesmo horário, para R$ 30.585.

Das 100 maiores criptomoedas do mundo, apenas três registravam ganhos nesta sexta, sendo que muitas das maiores moedas tinham queda de dois dígitos, caso do Ripple, Bitcoin Cash, EOS, Litecoin e Cardano. O Ethereum tinha perdas mais próximas do Bitcoin, caindo 9,56%, cotado a US$ 687.

Autoridades sul-coreanas invadiram a UpBit por suspeita de fraude, informou a Reuters nesta sexta, citando a agência de notícias local Yonhap. "O UpBit está atualmente sob investigação por acusação, e estamos [cooperando] diligentemente", disse a empresa em seu site.

"Os serviços do Upbit, como todas as transações e retiradas, estão funcionando normalmente. Seus ativos estão mantidos em segurança na sua conta", ressaltou a companhia. A bolsa é a quarta maior exchange por volume de negociação, segundo o ranking de mercados da CoinMarketCap.

Quer ficar por dentro de tudo do mundo das criptomoedas, com análises exclusivas de um dos pioneiros do mercado? Clique aqui e assine o relatório CryptoInsights

 

Tudo sobre:  Bitcoin  

Contato