Em mercados / bitcoin

Conheça a moeda digital brasileira que ajudará criar a "B3 das criptomoedas"

Mundo Bitcoin recebeu nesta terça-feira o diretor da Bomesp, Fernando Barrueco, que explicou sobre o projeto

SÃO PAULO - O Mundo Bitcoin desta terça-feira (30) entrevistou Fernando Barrueco, diretor da Bomesp (Bolsa de Moedas Virtuais Empresariais de São Paulo), primeira bolsa de criptomoedas no Brasil emitidas por empresas de dentro ou fora do País. Ele explicou os conceitos e os funcionamentos deste sistema que promete revolucionar a forma de captação das companhias.

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta

Para facilitar e trazer mais credibilidade ao projeto, o diretor explica que quatro criptomoedas serão utilizadas como paridade para as demais que forem lançadas pelas empresas: bitcoin, ethereum, ripple e niobium. Esta última lançada por uma equipe de empresários brasileiros e austríacos, cujo ICO (Initial Coin Offering) já está no ar e será a moeda-base da "B3 das criptomoedas".

Além disso, Barrueco comenta sobre a interpretação da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) sobre o projeto, que recentemente declarou que o Niobium não é um valor mobiliário, ficando de fora de uma possível regulação pela autarquia, como também como participar do ICO.

O programa Mundo Bitcoin vai ao ar todas as terças-feiras às 14h00 (horário de Brasília), no InfoMoneyTV. Mande dúvidas e sugestões pela transmissão ao vivo no Facebook.

 

Tudo sobre:  Bitcoin  

Contato