Momento incerto

Bitcoin estabiliza após atingir menor preço em duas semanas, mas analistas recomendam cautela

Analistas não estão convencidos de que a recuperação irá durar

Por  CoinDesk -

O Bitcoin (BTC), maior criptomoeda do mundo por capitalização de mercado, caiu para US$ 37.300 na manhã desta segunda-feira (21), a menor cotação em duas semanas. A queda foi atribuída às crescentes tensões no Leste Europeu. Por volta do meio-dia, no entanto, o ativo teve uma leve recuperação e encostou nos US$ 39 mil.

Os analistas, entretanto, não estão convencidos de que a recuperação irá durar. O Kremlin descartou um possível diálogo entre o presidente russo Vladimir Putin e seu colega norte-americano Joe Biden, uma ideia proposta pelo presidente francês Emmanuel Macron no domingo (20). A Ucrânia, entretanto, relatou bombardeios de separatistas apoiados pela Rússia.

“Parece que estão evitando totalmente o risco. É presumivelmente uma fuga para dinheiro fiduciário, pois é difícil encontrar um ativo que esteja realmente funcionando contra a incerteza atual”, disse Jason Deane, analista da Quantum Economics. “Os mercados podem ficar muito confusos se a ação militar realmente acontecer.”

  • Assista: O que as tensões na Ucrânia têm a ver com o Bitcoin? Analista da Ohm Research responde no Cripto+

O Ethereum (ETH), a segunda maior criptomoeda em valor de mercado, perdeu 6,8% nos últimos sete dias, lutando para ficar acima de US$ 2.700.

Em contraste, os tokens relacionados ao metaverso e aos games valorizaram hoje. O Axie Infinity (AXS), líder do ainda incipiente setor de play-to-earn (jogue para ganhar), está sendo negociado em alta de 5% nas últimas 24 horas.

O avanço ocorre no momento que o jogo ultrapassou US$ 4 bilhões em vendas vitalícias de tokens não fungíveis (NFTs), de acordo com dados do DappRadar. O game foi lançado em 2018 e agora tem uma capitalização de mercado de US$ 3,2 bilhões.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receba a Newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe