Cenário difícil

Bitcoin e Ethereum estão enfrentando esses desafios para adoção em massa, segundo o JPMorgan

Banco destacou que os dois maiores criptoativos por valor de mercado passam por situação delicada por razões diferentes

Por  CoinDesk -

Em relatório publicado na semana passada, JPMorgan afirma que os maiores desafios do Bitcoin (BTC) são sua volatilidade e os ciclos de expansão e depressão que atrapalham a adoção institucional da criptomoeda.

Em nota, o time de analistas liderados por Nikolaos Panigirtzoglou informou que a estimativa do banco para o valor justo do Bitcoin, com base na proporção de volatilidade entre o BTC e ouro, despencou para cerca de quatro vezes (ou US$ 38 mil).

Segundo eles, a previsão anterior de que a proporção da criptomoeda para o ouro cairia para duas vezes não parece mais ser realista. O banco prevê adversidades significativas no futuro tanto para o BTC quanto para a Ethereum (ativo=ETH).

A plataforma de contratos inteligentes enfrenta um desafio diferente do Bitcoin, já que a maior parte do seu valor vem de “moedas de aplicativos descentralizados, e não de uma forma de ouro digital”, diz o relatório.

A queda de market share nos setores de finanças descentralizadas (DeFi) e tokens não fungíveis (NFT) apresenta o maior obstáculo para a rede. Segundo os analistas, durante a correção do mês, o ETH não conseguiu recapturar fatia de mercado dos seus maiores competidores e seu preço teve quedas similares às de outras altcoins.

Para o JPMorgan, assim como em maio de 2021, a liquidação de contratos futuros alavancados teve um papel importante na correção do mercado de criptomoedas das últimas semanas. Em contrapartida, a liquidação de posições deste mês parece ser menos grave.

O Bitcoin era negociado a US$ 37.386 e o Ethereum a US$ 2.552 no fechamento da matéria.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receba a Newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe