Liderança

Binance movimenta quase US$ 500 bilhões em março e amplia dominância no mercado cripto

A exchange alcançou 30% da participação de mercado de volume spot no mês passado, ampliando sua liderança sobre as concorrentes

Por  CoinDesk -

A Binance, uma das principais exchanges de criptomoedas do mundo, alcançou 30% do market share do volume spot em março, de acordo com um relatório da CryptoCompare. A participação de mercado era de 29% em fevereiro.

A corretora movimentou cerca de US$ 490 bilhões em negócios à vista em março, um aumento de 15% em relação ao mês anterior. A Binance foi seguida pela Coinbase, com US$ 81,9 bilhões (queda de 12%), e OKX, antiga OKex, com US$ 75,9 bilhões (queda de 26%).

“A Binance já tem uma participação de mercado significativa há algum tempo”, disse Florian Giovannacci, chefe de negociação da Covario, a principal corretora de ativos digitais com sede na Suíça. “Eles são muito confiáveis (tecnicamente), cobrem uma grande variedade de tokens e oferecem uma das melhores ofertas de liquidez, o que atrai volume.”

Em março, o preço do Bitcoin (BTC) atingiu uma máxima mensal de US$ 48.214, segundo dados da Messari. No momento da publicação deste texto, a criptomoeda é negociada a US$ 38.900, uma queda de 19% desde a alta de março.

O domínio de 30% do mês passado está um pouco abaixo da participação de mercado recorde da Binance de 34%, alcançada em novembro de 2021.

Também em março, os volumes de derivativos aumentaram após seis meses consecutivos de queda. A atividade dentro desse mercado aumentou 4,6% para US$ 2,74 trilhões, atingindo um market share de 62% – a participação de mercado do volume de spot, para efeito de comparação, foi de 37%.

Isso ainda é significativamente menor do que as máximas históricas alcançadas em maio de 2021. Os volumes de derivativos atingiram um total de US$ 9,99 trilhões naquele mês. A participação no mercado de derivativos dominava 68% na época.

A Binance também liderou os mercados de derivativos com 52% do volume total em março, seguida por OKX e Bybit.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe