Binance confirma oferta por ativos da Voyager arrematados pela FTX

Changpeng Zhao, CEO da Binance, também afirmou que empresa mira US$ 1 bi para fundo de resgate do setor

CoinDesk

Changpeng "CZ" Zhao, CEO da Binance (Antonio Masiello/Getty Images)

Publicidade

O CEO da Binance, Changpeng “CZ” Zhao, confirmou que o braço americano da corretora fará uma nova oferta pela plataforma de empréstimo de criptomoedas Voyager, que entrou em recuperação judicial em Nova York em julho.

Os ativos da Voyager haviam sido arrematados em setembro pela FTX, que viria a quebrar cerca de dois meses depois em meio ao que é apontado como o maior escândalo do mundo cripto – a empresa tem passivo estimado em US$ 10 bilhões e um milhão de credores.

O CoinDesk informou na semana passada que a Binance.US estaria preparando uma oferta pela Voyager, o que Zhao confirmou em entrevista à Bloomberg na quinta-feira (23).

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

“A Binance.US fará outra oferta pela Voyager agora, já que a FTX não é mais capaz de cumprir esse compromisso”, disse ele.

A Binance também havia tentado disputar o leilão da Voyager, mas teria sido impedida por autoridades dos EUA por supostas preocupações com a segurança nacional.

“Acho que as preocupações com a segurança nacional dos EUA foram rumores espalhados pela FTX para tentar nos tirar do leilão”, disse Zhao. “Nunca houve nenhuma preocupação sobre nossa participação”.

Continua depois da publicidade

Fundo de US$ 1 bilhão

Enquanto mira arrematar os ativos da Voyager, a Binance também busca estabelecer um novo fundo para resgatar projetos cripto em dificuldades. Na mesma entrevista, Zhao afirmou que pretende alocar US$ 1 bilhão ou mais.

“Se isso não for suficiente, podemos alocar mais”, disse CZ.

A iniciativa foi anunciada pelo executivo na semana passada. O fundo, segundo ele, servirá “para ajudar projetos que são fortes, mas estão em uma crise de liquidez”.

Tópicos relacionados

CoinDesk

CoinDesk é a plataforma de conteúdos e informações sobre criptomoedas mais influente do mundo, e agora parceira exclusiva do InfoMoney no Brasil: twitter.com/CoinDeskBrasil