Bloqueando o negócio

Bilionário eleva fatia na australiana Huon e coloca em risco negócio da JBS

Andrew Forrest e seu family office elevaram a fatia na Huon de 7,3% para 18,5%, segundo documento regulatório divulgado na quarta-feira

JBS Frigoríficos
(Shutterstock)

(Bloomberg) – O plano da JBS (JBSS3) para comprar a australiana Huon Aquaculture pode estar sob ameaça com o aumento da participação do magnata da mineração Andrew Forrest na produtora de salmão para um nível que poderia bloquear o negócio.

Forrest e seu family office elevaram a fatia na Huon, negociada em Sydney, de 7,3% para 18,5%, segundo documento regulatório divulgado na quarta-feira. O investimento destaca os avanços da Huon na melhoria das práticas ambientais em uma indústria com uma reputação “terrível”, disse Forrest em entrevista.

O aumento da participação pode desafiar o plano da JBS de adquirir a Huon como forma de entrar no mercado de peixes. A gigante de carne anunciou o acordo de US$ 314 milhões na semana passada, dizendo que tem apoio de acionistas majoritários e que a transação deve ser concluída até o fim do ano, depois da aprovação de autoridades australianas.

“Sempre estamos felizes em continuar investindo na Huon”, disse Forrest à Bloomberg News. “Quando a JBS entrou, isso acelerou a urgência, porque conhecemos a JBS – porque estamos no setor de gado.”

Conhecido como o bilionário fundador da gigante de minério de ferro Fortescue Metals, Forrest tem se tornado cada vez mais ativo no agronegócio nos últimos anos, tendo comprado a Harvey Beef, uma das maiores processadoras de carne da Austrália Ocidental

. Com PhD em ciências marinhas, o empresário também fez uma investida na aquicultura com a aquisição no ano passado de operações de cultivo de ostras em Albany, na Austrália Ocidental, e com foco na conservação dos oceanos por meio de sua fundação, abordando questões como pesca predatória e poluição por plásticos.

Forrest quer que a JBS se comprometa com a melhoria dos padrões ambientais e de pecuária, tanto na criação de salmão quanto nas extensas operações de carne. Em comunicado emitido por seu family office Tattarang, ele destacou os passos que o novo controle da Huon deve realizar em busca de práticas sustentáveis no cultivo de salmão.

Isso inclui a substituição do peixe da farinha de peixe, com uma produção totalmente neutra em carbono e aplicando os principais padrões e práticas de bem-estar animal, de acordo com o comunicado.

‘Sem dor, sem medo’

“A indústria de alimentos é muito mais do que apenas ganhar dinheiro”, disse Forrest por telefone. “Se sua maior prioridade não é o bem-estar animal, ‘sem dor, sem medo’, ou igualar as maiores prioridades com o meio ambiente, então nós o desafiamos a fazer isso”, disse, acrescentando que essas considerações não foram mencionadas no documento de 138 páginas do acordo de aquisição.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O CEO da JBS Australia, Brent Eastwood, respondeu ao investimento de Forrest na Huon, dizendo que a empresa compartilha a visão do fundo Tattarang de que “bons negócios também devem ser bons para o meio ambiente”. A JBS fornecerá detalhes sobre seu compromisso com o bem-estar animal e a sustentabilidade ambiental a todos os acionistas da Huon quando os documentos da transação forem liberados, disse Eastwood.

Atualmente, um dos problemas da piscicultura é que consomem mais peixe do que produzem, disse Forrest.

Em curso gratuito de Opções, professor Su Chong Wei ensina método para ter ganhos recorrentes na bolsa. Inscreva-se grátis e participe.