Protestos em Washington

Biden chama invasão do Congresso de “ataque à democracia”; Trump pede fim dos protestos, mas diz que eleição foi roubada

Enquanto o presidente eleito fazia um pronunciamento, o atual presidente publicou um curto vídeo nas redes sociais

(Montagem/Getty Images)

SÃO PAULO – Após manifestantes invadirem o Capitólio, sedo do Congresso dos Estados Unidos, o presidente eleito Joe Biden fez um pronunciamento na tarde desta quarta-feira (5) dizendo que a democracia do país está “sob um ataque sem precedentes”.

“A esta hora, nossa democracia está sob um ataque sem precedentes. Diferente de tudo que vimos nos tempos modernos. Um ataque à cidadela da liberdade, o próprio Capitólio. Um ataque aos representantes do povo e à polícia do Capitólio, que jurou protegê-los. E os funcionários públicos que trabalham no coração de nossa República”, disse o democrata.

Ele reforçou que os acontecimento em Washington, capital dos EUA, “não refletem a verdadeira América e não representam quem nós somos”.

“O que estamos vendo é um pequeno número de extremistas dedicados à ilegalidade”, afirmou Biden. “Essa desordem, esse caos – isso tem que acabar, agora”.

O democrata ainda pediu para que o presidente Donald Trump vá à televisão “para cumprir seu juramento, defender a constituição e exigir o fim deste cerco”. “Isso não é um protesto; é uma insurreição. O mundo está assistindo”, completou.

Trump pede saída dos manifestantes

No mesmo momento em que Biden realizava seu pronunciamento, Trump publicou um vídeo em seu Twitter pedindo para que os manifestantes deixassem o Congresso. Apesar disso, ele reforçou em sua fala que a eleição foi roubada.

“Conheço sua dor. Tivemos uma eleição que foi roubada de nós”, disse o republicano. “Mas vocês precisam ir para casa. Precisamos ter lei e ordem”.

O presidente afirmou que não quer “ninguém ferido”, mas voltou a falar em “eleição fraudulenta”. Mais cedo, ele disse que marcharia junto com os manifestantes pelas ruas da capital americana.

“Eu estarei com vocês. Vamos andar até o Capitólio e felicitar nossos bravos senadores e congressistas”, disse ele em discurso no início da tarde.

O Congresso dos EUA se reuniu nesta quarta para certificar os votos do Colégio Eleitoral e confirmar a vitória de Joe Biden na eleição de novembro passado. Apesar disso, Trump segue questionando o resultado, mesmo tendo perdido todos os processos que tentou para anular o resultado.

Mais cedo, o presidente pediu ao seu vice, Mike Pence, que também é presidente do Senado, que não aprovasse o resultado da eleição no Congresso hoje. Pence, porém, se negou e disse não ter poder para fazer isso.

Quer migrar para uma das profissões mais bem remuneradas do país e ter a chance de trabalhar na rede da XP Inc.? Clique aqui e assista à série gratuita Carreira no Mercado Financeiro!