BB Seguridade (BBSE3) troca CEO, terras da São Martinho (SMTO3) se valorizam 31% e Telefônica (VIVT3) ajusta valor de JCP

Confira os principais destaques do noticiário corporativo desta quarta-feira (27)

Felipe Moreira

Publicidade

O radar corporativo desta quarta-feira (27) traz a renúncia de Ullisses Silva Assis aos cargos de presidente-executivo e membro do conselho de administração da BB Seguridade (BBSE3). Para o lugar de Assis, o controlador indicou André Gustavo Haui.

A São Martinho (SMTO3) comunicou que as terras próprias, que somam 54.451 hectares, foram avaliadas em R$ 6,30 bilhões, apresentando valorização de 30,8% em relação à última avaliação divulgada em 2021

Enquanto isso, Telefônica Brasil (VIVT3) alterou o valor por ação dos juros sobre o capital aprovados em 14 de dezembro de 2023. O valor passou de R$ 0,43700377284 líquido por ação para R$ 0,43719411434 líquido por ação.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Já o Carrefour Brasil (CRFB3) fará emissão de debêntures simples no valor de R$ 1,5 bilhão.

A Azul (AZUL4), por sua vez, recebeu aprovação para nova linha de crédito securitizadora de US$ 200 milhões.

Confira mais destaques:

Continua depois da publicidade

BB Seguridade (BBSE3)

A BB Seguridade (BBSE3) anunciou na terça-feira que o presidente-executivo e membro do conselho de administração Ullisses Silva Assis renunciou aos cargos para “buscar novos desafios profissionais na iniciativa privada”.

A companhia afirmou que para o lugar de Assis em ambos os cargos o controlador indicou André Gustavo Haui, presidente-executivo da unidade Banco do Brasil Securities LLC nos Estados Unidos.

São Martinho (SMTO3)

A São Martinho (SMTO3) comunicou que as terras próprias, que somam 54.451 hectares, foram avaliadas em R$ 6,30 bilhões, apresentando valorização de 30,8% em relação à última avaliação divulgada em 2021, desconsiderando as alienações de terras ocorridas ao longo do período. A reavaliação foi realizada pela consultoria Deloitte Touche Tohmatsu.

Em relação à valorização em R$/hectare no período, o crescimento foi de aproximadamente 31,3%.

A evolução do valor das terras da companhia desde a publicação do primeiro laudo de
avaliação, em 2014, é de 118,6% (em R$ por hectare), superando a evolução do IPCA no mesmo período. Esta evolução, em termos de crescimento anual composto (CAGR) é de 8,9%.

De acordo com a São Martinho, avaliação a valor de mercado corresponde à terra nua, não contemplando construções e benfeitorias, máquinas e equipamentos, implementos agrícolas e culturas.

Telefônica (VIVT3)

A Telefônica Brasil (VIVT3) alterou o valor por ação dos juros sobre o capital aprovados em 14 de dezembro de 2023. O valor passou de R$ 0,43700377284 líquido por ação para R$ 0,43719411434 líquido por ação.

A alteração ocorre devido às aquisições de ações de sua própria emissão ocorridas no âmbito do programa de recompra de ações da companhia.

A posição acionária para ter direito ao provento foi esta terça-feira, 26. Após essa data as ações serão consideradas “ex-juros”.

O pagamento desse provento será realizado até 30 de abril de 2024, devendo a data ser definida pela diretoria.

Carrefour Brasil (CRFB3)

O Conselho de Administração aprovou a 6ª emissão de debêntures simples,
não conversíveis em ações, da espécie quirografária, em até 2 (duas) séries, da
Companhia (“Emissão” e “Debêntures”, respectivamente), com valor unitário de
R$1000,00 (mil reais) cada, na data de sua emissão, no montante total de R$1,5 bilhão.

Azul (AZUL4)

A Azul (AZUL4) anunciou que suas subsidiárias Azul Linhas Aéreas Brasileiras S.A. (ALAB) e Azul Investments LLP receberam aprovação para acessar uma nova linha de crédito securitizada de US$ 200 milhões.

A linha de crédito será utilizada para financiar a manutenção de motores da frota Embraer e Airbus da ALAB, realizada pela GE Celma Ltda. (uma subsidiária da GE
Aerospace). A Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias (ABGF) foi a relatora. O Comitê de Financiamento e Garantia das Exportações (COFIG) aprovou a operação nas condições apresentadas pela ABGF.

“Acreditamos que essa nova linha de crédito nos permitirá otimizar nossa posição de liquidez e agilizar o processo de manutenção dos motores de nossa frota, reforçando ainda mais nossa parceria com a GE Aerospace.”, diz Alex Malfitani, CFO e Diretor de Relações com Investidores da Azul.

Braskem (BRKM5)

A Braskem (BRKM5) afirmou nesta terça-feira que considera como “possível” a chance de perder um processo aberto pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) e avaliado em R$ 1,46 bilhão relacionado a danos causados pelo afundamento do solo de Maceió.

A Braskem afirmou que o processo aberto em fevereiro de 2021 pela CBTU está suspenso até janeiro de 2024 em meio a um acordo entre as partes para se buscar uma “solução consensual”.

No processo de 2021, segundo a Braskem, que respondeu a questionamentos da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a CBTU cobra da Braskem pagamento de indenização por danos materiais e morais de cerca de 222,5 milhões de reais, bem como a construção de uma nova linha férrea para substituir trecho sob área de risco.

Cruzeiro do Sul (CSED3)

A Assembleia Geral de Debenturistas da 2ª emissão de Debêntures Simples, não
conversíveis em ações, em série única, da ACEF, subsidiária da Companhia, aprovou a implementação do reperfilamento da dívida, no montante aproximado de R$ 141,1 milhões.

Kora Saúde (KRSA3)

A Kora Saúde informou que os recebíveis cedidos envolveram o valor total bruto de R$ 189.562.708,68, foram cedidos sem coobrigação da Companhia, são oriundos de contratos de prestação de serviços com operadoras de planos de assistência médica (“convênios”), possuem prazo máximo de vencimento de 60 dias e foram descontados à taxa média de 1,45% a.m. A Companhia recebeu à vista os valores descontados.

Localiza (RENT3)

A Localiza (RENT3) informou que, tendo em vista não ter havido alienação de ações em tesouraria para atender ao exercício de opções relativas aos Planos de Opção de Compra de Ações e/ou por aquisição de ações dentro do Plano de Recompra de Ações da Companhia após a Reunião do Conselho de Administração realizada em 20 de dezembro de 2023, permanece inalterado o valor por ação dos juros sobre capital próprio aprovados na referida reunião em R$0,382860306.

O montante dos juros sobre capital próprio aprovado pelo Conselho de Administração foi de R$ 404.899.607,13 e o pagamento ocorrerá no dia 15 de fevereiro de 2024.

Farão jus ao pagamento os acionistas constantes da posição acionária da Companhia em 26 de dezembro de 2023 sendo que as ações, a partir de 27 de dezembro de 2023, serão negociadas na bolsa de valores “ex” esses juros sobre capital próprio.