Quedas à vista

Barril de petróleo chegará a US$ 40 até o fim do ano, diz ex-diretor de pesquisa da OPEP

A faixa de estimativas se compara com o preço de encerramento na quarta-feira, US$ 63,80, e o extremo inferior do espectro está abaixo do preço mínimo atingido pela referência em janeiro

Aprenda a investir na bolsa

(Bloomberg) – O preço do petróleo bruto Brent será mais baixo por volta do fim do ano, já que a produção do Iraque e do Irã está prestes a aumentar, a produção de petróleo de xisto está se estabilizando e a demanda está desacelerando, segundo o ex-diretor de pesquisa da OPEP.

O barril de Brent custará de US$ 40 a US$ 50 no quarto trimestre, disse Hasan Qabazard, que foi diretor de pesquisa entre 2006 e 2013, em uma entrevista, em Viena. A faixa de estimativas se compara com o preço de encerramento na quarta-feira, US$ 63,80, e o extremo inferior do espectro está abaixo do preço mínimo atingido pela referência em janeiro.

O petróleo subiu 11 por cento neste ano pelos sinais de uma maior demanda e pela especulação de que oferta dos EUA diminuiria porque a OPEP manteve o nível de produção para expulsar os produtores que têm custos mais altos. A perspectiva de um novo declínio calculada por Qabazard chega depois de previsões baixistas de bancos, como o Goldman Sachs Group Inc., que disse no mês passado que o rali era prematuro e que o Brent cairia para US$ 51 em seis meses. O fim da temporada de viagens de carro nos EUA acarretará uma desaceleração da demanda, disse Qabazard.

Aprenda a investir na bolsa

“O quarto trimestre será uma verdadeira prova”, disse Qabazard, atualmente CEO da Kuwait Catalysts Co., à margem de um seminário da OPEP sobre as perspectivas para o setor petroleiro. Compareceram à reunião os CEOs de várias empresas, como Exxon Mobil Corp., BP Plc e Royal Dutch Shell Plc, e ministros do Petróleo de vários países, como Arábia Saudita, Kuwait e Emirados Árabes Unidos.

Excedente mundial
“Há um sério excesso de oferta no mercado”, disse o ministro do Petróleo do Irã, Bijan Namdar Zanganeh, aos jornalistas em Viena nesta quinta-feira.

A recuperação do Brent em relação ao menor valor em seis anos, registrado em janeiro, está parando pelos sinais de que um excedente mundial, estimado pela Venezuela entre 2 milhões e 2,5 milhões de barris por dia, persistirá. Os ministros da OPEP se reunirão em Viena na sexta-feira para discutir a política.

Zanganeh disse que entregará uma carta na reunião para alertar a OPEP que abra espaço para o aumento da produção do Irã. O CEO da Shell, Ben Van Beurden, e o CEO da BP, Bob Dudley, disseram que estão interessados em investir no país se as sanções ligadas ao programa de energia nuclear forem revogadas.

A OPEP não vai alterar a meta de produção na reunião dos ministros, segundo uma pesquisa feita pela Bloomberg no mês passado. Os 12 países-membros, incluindo o Iraque e o Irã, extraíram 31,58 milhões de barris por dia em maio, superando a meta de 30 milhões de barris pelo 12° mês consecutivo, mostram dados compilados pela Bloomberg.

Os preços são atraentes para que os produtores de fora da OPEP continuem perfurando, disse Qabazard. A produção de petróleo de xisto dos EUA agora se estabilizou em cerca de 4 milhões de barris diários e vai crescer para 5 milhões de barris por dia até 2018, disse ele.

PUBLICIDADE