Bancos centrais se mostram comprometidos em combater o avanço da inflação

Para Trichet, economia global já está pronta para um crescimento relativamente robusto, enquanto Fed mostra-se preocupado

Viviam Klanfer Nunes

Publicidade

SÃO PAULO – Os mais importantes líderes de bancos centrais do mundo mostraram-se comprometidos em manter a inflação sob controle, enfrentando, principalmente, a alta do petróleo e dos preços dos alimentos, que avançam por conta da forte demanda dos países emergentes, como China e Brasil. 

Jean-Claude Trichet, discursando na posição de presidente da reunião do BIS (Banco de Compesações Internacionais) e discursando em nome dos principais bancos centrais do mundo, afirmou que a economia global está pronta para um crescimento relativamente robusto. Ainda, indicou que as economias emergentes estão em passo acelerado e que há um risco de superaquecimento.

Por conta desta preocupação em relação ao aquecimento econômico, Trichet defendeu um maior controle da inflação por parte das principais economias do mundo. Vale lembrar que na última semana, o presidente do Banco Central Europeu sinalizou que pretende elevar o juro da região, atualmente em 1% ao ano.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

“Há unidade de propósito e isso está cristalizado no objetivo de uma sólida ancorragem das expectativas sobre a inflação”, afirmou Trichet, “mas isso não quer dizer que tomaremos as mesmas decisões”, frisou.

Já é tempo?
Enquanto o Banco Central Europeu sinaliza para uma alta da taxa de juro em breve, outras importantes autoridades monetárias pelo mundo, como o Federal Reserve, se mostram preocupados com o fato do crescimento econômico global ainda não ser forte o suficiente para lidar com os custos mais elevados de financiamento.