RADAR INFOMONEY

Banco do Brasil fecha parceria com o UBS, plataforma da Petrobras tem produção suspensa e mais destaques

Confira os destaques corporativos desta terça-feira

No Radar InfoMoney desta terça-feira destaque ao Banco do Brasil após fechar parceria com UBS, à Petrobras com problemas em plataformas e à Lojas Americanas e B2W com acordo com Mastercard.

Banco do Brasil (BBAS3)

O Banco do Brasil e o UBS informaram ter assinado um memorando de entendimento com a intenção de estabelecer uma parceria para prestar serviços de banco de investimento e de corretora de valores no segmento institucional no Brasil e em determinados países da América do Sul.

PUBLICIDADE

O objetivo é que o UBS seja acionista majoritário (50,01%) da parceria, que seria estabelecida pela contribuição de ativos de ambas as instituições, de acordo com os termos e condições definitivos a serem estabelecidos em Acordo de Associação, ainda em discussão.

Em nota à imprensa, os bancos indicaram que pretendem fornecer conjuntamente serviços no Brasil, Argentina, Chile, Paraguai, Peru e Uruguai por meio de uma parceria que teria acesso a base de relacionamento do BB no país e às estruturas globais de execução e distribuição do UBS.

“BB e UBS entendem que a formação de uma parceria estratégica de longo prazo criaria, na região, uma plataforma relevante de banco de investimentos com cobertura global, que se beneficiaria dos pontos fortes complementares do BB e do UBS. Espera-se que a parceria entregue a seus clientes soluções completas, além de trazer benefícios adicionais aos ‘stakeholders’”, disseram os bancos.

O estabelecimento efetivo da parceria depende da finalização das negociações entre as partes, da formalização de eventuais instrumentos vinculantes, bem como das aprovações internas e de todos os órgãos e instâncias competentes.

O Banco do Brasil ainda esclareceu hoje, em resposta a ofício da CVM, após reportagem do Valor Econômico, em relação à alienação de suas ações de titularidade do FI-FGTS, que tem cooperado com o fundo, disponibilizando as informações e documentos necessários ao estudo das alternativas viáveis.

O banco estatal reitera posicionamento divulgado ao mercado, em 23 de agosto, de que “não há decisão da instância interna competente”, no âmbito da governança do BB, materializando a deliberação da AGE, de 25 de abril de 2018, que trata da alienação de ações em tesouraria.

PUBLICIDADE

O BB informou por meio de Fato Relevante que foi autorizada a alienação de 20.785.200 de ações ordinárias de emissão do BB excedentes à manutenção do controle acionário da União.

Petrobras (PETR3;PETR4)

A Petrobras informou que a plataforma P-50, localizada na Bacia de Campos, no campo de Albacora Leste, teve a produção preventivamente interrompida na noite de domingo, devido ao rompimento de amarra do sistema de ancoragem.

“Ancorada por outras 15 amarras, a plataforma encontra-se estável e em segurança, sem oferecer qualquer risco às pessoas e ao meio ambiente”, afirmou, acrescentando que, atualmente, 178 pessoas trabalham embarcadas na unidade.

A Petrobras diz que está tomando “todas as medidas necessárias para o reparo do sistema e retomada da produção o mais rapidamente possível” da unidade que, por dia, produz, em média, 20 mil barris de petróleo.

A petroleira também relatou que a plataforma Cidade de Santos, instalada desde o início da década nos campos de Uruguá e Tambaú, na bacia de Santos, está parada desde quinta-feira devido a inconformidades identificadas por uma auditoria promovida pela Operação Ouro Negro, que realiza inspeções e fiscalizações em plataformas marítimas de produção de petróleo e gás natural.

Segundo a Modec, operadora da plataforma, “a equipe da embarcação está trabalhando para solucionar as pendências apontadas e retomar a operação da unidade o mais breve possível”, disse em nota, sem informar imediatamente qual seriam as irregularidades encontradas. A produção diária da plataforma é de aproximadamente 8,5 mil barris de petróleo por dia.

Eletrobras (ELET3;ELET6)

O jornal Valor Econômico traz que o governo não mudou de ideia em relação a um projeto de lei que prevê a privatização da Eletrobras. O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse à publicação que “mantém-se a ideia da capitalização”, mesmo após o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, alertar sobre os riscos da proposta não prosperar no Congresso.

Lojas Americanas (LAME4) e B2W (BTOW3)

A Ame Digital Brasil, fintech e plataforma mobile de negócios da Lojas Americanas e B2W, celebrou um Memorando de Entendimentos para a oferta do cartão pré-pago Ame com a bandeira Mastercard a usuários da carteira e vendedores Ame Plus. O Cartão Pré-Pago poderá ser solicitado diretamente no app Ame e oferecerá ao cliente a opção de emissão do cartão físico e da versão digital tokenizada, disponibilizada diretamente na e-wallet.

Os cartões também terão a tecnologia NFC (near field communication), possibilitando pagamentos por aproximação. “O Cartão funcionará como espelho da Conta Ame, que pode ser recarregada por depósito diretamente nos caixas das Lojas Americanas, transferência bancária, transferência entre usuários, cartão de crédito e também por pagamento de boleto”, detalham as companhias.

Atualmente, a Ame conta com mais de 4 milhões de downloads e presença em mais de 800 lojas da Lojas Americanas, além dos sites Americanas.com, Submarino, Shoptime, Sou Barato e de diversos outros lojistas do mundo físico. A empresa ressalta que, a parceria celebrada e as demais que estão em fase de negociação possibilitarão a aceleração do desenvolvimento da Ame, “maximizando suas frentes de negócios, sendo ainda prematuro estimar seus efeitos no resultado”.

Seja sócio das melhores empresas da Bolsa: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de ações

Segundo as empresas, a parceria é uma das importantes iniciativas que estão no plano de negócios da Ame para ampliar a sua aceitação nos mundos físico e online e possibilitará que o cliente pague com Ame em toda a rede credenciada para aceitação da bandeira Mastercard, permitindo aos consumidores pagarem com Ame em 7,8 milhões de estabelecimentos comerciais, e ainda realizar saques em milhares de caixas eletrônicos espalhados por todo Brasil.

JBS (JBSS3)

A JBS deverá concluir nesta semana uma oferta de R$ 500 milhões em certificados de recebíveis do agronegócio (CRI), segundo o Valor Econômico. A publicação diz que esta será a primeira vez que a companhia vende títulos de dívida por meio da instrução 400 da CVM. Os recursos deverão ser utilizados para a compra de gado.

Ainda sobre JBS, o Citi elevou a recomendação da companhia para compra, com preço-alvo de R$ 36. 

Gafisa (GFSA3)

A incorporadora Gafisa elegeu André Luis Ackermann ao cargo de Diretor de Relações com Investidores, acumulando com suas atuais responsabilidades de diretor financeiro. A nomeação acontece, em meio a reestruturação da companhia, e a renúncia de Roberto Luz Portella dos cargo de diretor presidente e de relações com investidores.

A Gafisa informou que o prazo para exercício do direito de preferência relativo ao aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração da Companhia em 15 de agosto encerrou-se em 20 de setembro de 2019 e que, até o momento, considerado o exercício do direito de preferência, foram subscritas e integralizadas ações no montante aproximado de R$ 205 milhões.

Segundo a empresa, esse valor representa o equivalente a 75% do montante total do aumento de capital. A construtora afirmou ainda que divulgará até o dia 26 de setembro um novo aviso aos acionistas, quando serão informados os procedimentos para rateio das sobras e sobras adicionais.

Positivo Tecnologia (POSI3)

O jornal Valor Econômico traz que o Grupo Positivo desistiu de vender seus colégios, avaliados em R$ 300 milhões, mas deve concluir em breve a venda do negócio de ensino superior por cerca de R$ 500 milhões para o Cruzeiro do Sul.

EzTec (EZTC3)

O preço da oferta primária de ações da EzTec será definido nesta terça-feira, diz a Bloomberg. A operação era avaliada em R$ 730 milhões com base no preço das ações em 11 de setembro, logo antes do anúncio da oferta.

Suzano (SUZB3) e Klabin (KLBN11)

Os preços de celulose tiveram recuo de US$ 5,80 a tonelada nesta semana na China, para abaixo do patamar dos US$ 470 a tonelada. “Na nossa visão, os preços parecem estar próximos de um piso, mas a visibilidade permanece baixa. Ainda assim, destacamos nossa visão positiva para a dinâmica de oferta/demanda no médio-longo prazo”, destaca a equipe de análise da XP Investimentos. 

São Martinho (SMTO3)

O Bradesco BBI iniciou a cobertura de São Martinho com recomendação de Outperform e preço-alvo de R$ 29,00 para 2020.

(Com Agência Estado e Bloomberg)