Banco Central aponta risco de crédito como entrave para o crescimento econômico

Conteúdo do Portal InfoMoney – Editoria Mercados

Por  Equipe InfoMoney

O presidente do Banco Central do Brasil Armínio Fraga, apontou o risco de crédito como o principal entrave para a redução da taxa de juros no país, no Seminário sobre Juros Bancários, promovido pela Comissão de Finanças e Tributação da Câmara. Ao mesmo tempo, apontou as mudanças da política nacional no sentido de redução dos riscos.

Fraga reforçou o esforço do Governo Federal em relação à redução do spread bancário, afirmando que as medidas adotadas nos últimos dois anos foram responsáveis pela redução de spread de 65% para os atuais 37%. Além disso, o Governo está estudando uma série de medidas para dar transparência às taxas cobradas dos clientes dos bancos. Deste modo, o presidente do Bacen acredita que quando os clientes notarem que pagam muito pelo crédito, em particular o cheque especial, haverá uma redução do volume emprestado. Fraga aponta o cheque especial como o pior empréstimo que o banco pode oferecer: de um lado, o banco não tem garantias de que receberá de volta o que emprestou e de outro, os consumidores que pagam em dia subsidiam os que não honram suas dívidas, encarecendo o crédito.

O Bacen visa a redução da taxa de juros da economia, mas antes terá que reestruturar o crédito no Brasil, mesmo porque, apesar da tendência declinante, as taxas internas ainda são muito altas e prejudicam o crescimento da economia. Quanto à reforma tributária, Fraga disse que esta será a principal preocupação do Ministro da Fazenda, Pedro Malan, no próximo ano.

Compartilhe