Bitcoin em queda

Baixa nas criptomoedas não impactou economia americana, diz Goldman

Segundo o banco, a queda no mercado de ações teve um efeito muito maior no patrimônio líquido doméstico dos EUA

Por  CoinDesk -

Em relatório publicado ontem (19), o Goldman Sachs afirmou que os obstáculos nos gastos americanos agregados após a recente queda do mercado de criptomoedas provavelmente serão muito pequenos. Segundo o banco, há também um limite para o aumento da participação no mercado de trabalho por conta do declínio de preços.

O Goldman afirmou que é importante considerar a porção de riqueza em criptomoedas de investidores em outros países. O banco estima que as famílias americanas detêm cerca de um terço do valor de mercado global de US$ 1,3 trilhão das criptomoedas. Isso significa que a queda recente do valor de mercado é pequena em relação ao patrimônio líquido de famílias americanas, que, no último trimestre de 2021, era de US$ 150 trilhões.

Segundo a nota, as últimas baixas nos preços de criptomoedas provavelmente reduziram as participações americanas no mercado cripto em cerca de US$ 300 bilhões, e essas participações agora representam apenas 0,3% do patrimônio líquido doméstico.

  • Assista: Trader ex-JPMorgan condena Ethereum e dispara: “Pode não se recuperar da próxima queda de 90%”

Em contrapartida, o relatório acrescentou que as ações representaram aproximadamente 33% do patrimônio líquido das famílias no fim do ano passado e a última queda dos mercados de ações provavelmente reduziu esse patrimônio em cerca de US$ 8 trilhões.

O banco ainda declarou que as apertadas condições financeiras vão resultar em uma redução do crescimento e dos gastos neste ano, mas qualquer impacto adicional da última queda nos preços das criptomoedas vai ser provavelmente “modesto”.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe