Balanço da bolsa

B3 (B3SA3) tem lucro líquido estável de R$ 1,09 bilhão no 4º trimestre e informa dividendos de R$ 789 milhões

Conselho deliberou sobre a distribuição de dividendos referentes ao 4T21 no montante de R$ 789,3 milhões, a serem pagos em 8 de abril

Por  Equipe InfoMoney -

A B3 (B3SA3) registrou um lucro líquido de R$ 1,091 bilhão no 4º trimestre do ano passado, praticamente estável na comparação anual, com queda de 0,5% frente o mesmo intervalo de 2020.

Segundo a empresa, esse resultado refletiu o desempenho operacional positivo nos segmentos de Balcão e Tecnologia, Dados e Serviços no trimestre.

Excluindo itens não recorrentes, o lucro líquido teria atingido R$ 1,229 bilhões no trimestre, aumento de 6,0%.

Adicionalmente, se ajustado pelo benefício fiscal resultante da amortização do ágio relativo à incorporação da Cetip, o lucro líquido teria totalizado R$ 1,348,9 bilhões.

“Neste trimestre, o lucro foi impactado por teste de impairment anual que registrou baixa de R$ 4,1 milhões relativos à Central de Exposição a Derivativos (CED).”

Enquanto isso, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) recorrente foi de R$ 1,654 bilhão, uma queda de 4,3%, com uma margem recorrente de 75,9%, ante 78,7% de um ano antes.

A receita total somou R$ 2,431 bilhões, uma retração de 4,2%. Já a receita líquida somou R$ 2,179 bilhões entre outubro e dezembro do ano passado, queda de 4,2% na comparação com igual etapa de 2020.

Mais dados do balanço da B3

“A queda na receita total é explicada, principalmente, pela queda na receita dos segmentos Listado e Infraestrutura para financiamento, apesar da alta nos demais segmentos. Vale notar que as receitas no 4T20 foram impactadas positivamente por reversão de provisões não recorrentes –sem essas reversões, as receitas deste trimestre teriam sido em linha com o 4T20”, explica a B3.

O resultado financeiro foi positivo em R$ 86,6 milhões no quarto trimestre do ano passado, incremento de 36,4% sobre mesmo período de 2020.

As receitas financeiras atingiram R$ 401,2 milhões, aumento de 478,0%, explicado pelo aumento na taxa de juros, e pelo aumento do caixa pelas emissões de dívidas feitas no mercado nacional e internacional em maio e setembro de 2021, respectivamente.

As despesas somaram R$ 810,3 milhões no 4T21, elevação de 12,1% em relação ao mesmo trimestre de 2020.

Operacional

Apesar do cenário de incertezas, a B3 continuou apresentando altos volumes negociados em suas plataformas. No segmento de ações, o volume médio diário negociado (ADTV, na sigla em inglês) totalizou R$ 31,5 bilhões, estável em relação ao 4T20.

O número de contas na depositária atingiu 5 milhões em dezembro, crescimento de 54% em relação ao fim de 2020.

No segmento de derivativos listados, o ADV totalizou 4,3 milhões de contratos, em linha com o 4T20.

O aumento da volatilidade no mercado de capitais local levou a uma queda no número de ofertas públicas, com 1 IPO e 2 follow-ons acontecendo no período, totalizando R$ 3,6 bilhões.

Patrimônio Líquido e Ativos

A B3 encerrou o trimestre com ativos totais de R$ 52,5 bilhões, alta de 13,4% frente a dezembro de 2020.

As linhas de Disponibilidades e Aplicações financeiras (circulante e não-circulante) totalizaram R$ 22,1 bilhões.

Em relação aos passivos, no final do 4T21, a B3 possuía endividamento bruto de R$ 14,3 bilhões, correspondente a 2,0x o Ebitda recorrente dos últimos 12 meses.

O patrimônio líquido no final de dez/21 era de R$ 22,4 bilhões, composto, principalmente, pelo capital social de R$ 12,5 bilhões e pela reserva de capital de R$ 8,3 bilhões.

Investimentos

A B3 investiu R$ 148,4 milhões durante o trimestre, principalmente para atualizações tecnológicas em todos os segmentos da B3, para o desenvolvimento de novos produtos e para o projeto da nova estrutura predial da companhia. Adicionalmente, houve uma saída de caixa de aproximadamente R$ 1,3 bilhão no trimestre referente à aquisição da Neoway, e R$ 600 milhões referentes à participação minoritária na Dimensa.

Dividendos B3SA3

Em 17 de março de 2022, o Conselho de Administração deliberou sobre a distribuição de dividendos referentes ao 4T21 no montante de R$ 789,3 milhões, a serem pagos em 8 de abril.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe