AO VIVO Copom eleva Selic para 7,75%: o que muda na economia e nos seus investimentos? Especialistas respondem em live; assista

Copom eleva Selic para 7,75%: o que muda na economia e nos seus investimentos? Especialistas respondem em live; assista

Bolsa

B3 avalia emissão de dívida no exterior; guidance de alavancagem deve ser alterado

A intenção da B3 é iniciar, a partir desta sexta, reuniões com potenciais investidores

arrow_forwardMais sobre

A B3 (B3SA3) está avaliando a realização de uma emissão de títulos de dívida no mercado internacional, segundo informou por meio de fato relevante nesta sexta-feira (10).

Conforme a companhia, os recursos – caso seja concretizada a operação – seriam utilizados para a gestão ordinária dos negócios da operadora da bolsa brasileira.

A intenção da B3 é iniciar, a partir desta sexta, reuniões com potenciais investidores.

“A efetiva realização da operação está sujeita, dentre outros fatores, às condições de mercado, interesse de potenciais investidores, e aprovações societárias necessárias”, acrescentou.

Guidances B3

Com a potencial emissão, a alavancagem financeira da B3 poderá, temporariamente, até a amortização de outras dívidas já contratadas, ultrapassar a relação de 1,5 vezes a dívida bruta sobre o Ebitda recorrente dos 12 meses anteriores.

Adicionalmente, sujeito à efetivação da operação, o guidance de alavancagem financeira para 2021 deverá ser revisado para 2,0 vezes dívida bruta sobre Ebitda recorrente dos 12 meses anteriores.

“A potencial emissão busca diversificar as fontes de captação da Companhia e está alinhada com sua estratégia de otimizar a gestão e custo de seu endividamento”, acrescenta.

Contingência no radar

Apesar dos fortes resultados puxados pela forte atividade dos mercados de ações e de dívida, o que fez o lucro recorrente da B3 a superar as expectativas do segundo trimestre, outro fator chamou a atenção dos investidores.

Na ocasião, a B3 revisou a classificação de risco de uma  contingência legal de “remota” para “possível”.

PUBLICIDADE

Esta contingência está relacionada a uma ação na qual B3 é acusada de supostamente causar prejuízos em operações de mercado futuro de dólar conduzidas pelo Banco Central em janeiro de 1999.

Atualmente, o valor atualizado da contingência é de R$ 31,2 bilhões (incluindo juros e multas) – montante considerável e que não estava no radar dos investidores.

Ações

No acumulado do ano, as ações da B3 acumulam queda superior a 30%, enquanto o Ibovespa recua mais de 2%. Nesta sexta-feira, porém, seus papéis avançavam 4,11%, no início tarde.

Conheça o plano de ação da XP para você transformar os desafios de 2022 em oportunidades de investimento.