Atraso na aprovação do orçamento argentino não agrada ao FMI

Conteúdo do Portal InfoMoney – Editoria Mercados

Por  Equipe InfoMoney

O acordo entre a Argentina e o FMI está suspenso até que seja aprovado o orçamento de 2001 pela Câmara de Deputados, segundo informações do jornal argentino La Nación, um dos mais respeitados do país. O projeto do orçamento foi aprovado ontem pelo Senado, mas com modificações que não agradaram ao ministro da economia, José Luis Machinea, e à chefe da missão do FMI no país, Teresa Ter-Minassian.
As mudanças no orçamento prejudicam o corte de gastos no funcionalismo público e a intenção do governo de diminuir os subsídios, além de prever um gasto de US$ 20 milhões para financiar os partidos políticos. Para desagrado do governo, os Deputados adiaram a aprovação do orçamento para a semana que vem, contrariando as expectativas de que seria ratificado ontem. Funcionários do governo vão se reunir com os deputados na segunda-feira para tentar eliminar as mudanças propostas pelos senadores.
O pacote de ajuda estimado entre US$ 20 bilhões e US$ 25 bilhões pode ficar para janeiro, ainda segundo o jornal, dado o atraso nas reformas exigidas o FMI. Além do orçamento, o governo argentino se comprometeu a reformar o sistema previdenciário, proposta que está em discussão no Congresso mas que pode ser aprovada por decreto.
Ainda há a possibilidade, no entanto, de que a carta de intenções o valor do pacote sejam anunciados neste ano.

Compartilhe