Guerra na Europa

Ataque aéreo a estação de trem mata quase 40 na Ucrânia; 4 eram crianças

Governo ucraniano e representantes da União Europeia culpam os russos, mas o Kremlin afirma que o míssil era da Ucrânia

Por  ANSA Brasil -

Um ataque aéreo contra uma estação ferroviária em Kramatorsk, na região de Donetsk, deixou pelo menos 39 pessoas mortas na Ucrânia nesta sexta-feira (8), incluindo quatro crianças.

O local era usado para evacuação de civis do leste da Ucrânia e abrigava cerca de 4 mil pessoas no momento do bombardeio, segundo o prefeito Alexander Goncharenko.

Leia também:

“Os ocupantes atingiram a estação ferroviária de Kramatorsk, onde milhares de ucranianos pacíficos esperavam para ser evacuados. Os russos desumanos não abandonam seus métodos. Não tendo a força e a coragem de nos enfrentar no campo de batalha, estão destruindo a população civil”, disse o
presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, no Telegram. “Esse mal não tem limites e, se não for punido, não vai acabar nunca”.

O alto representante da União Europeia para Política Externa, Josep Borrell, também acusou a Rússia pelo bombardeio e afirmou que o objetivo da ação era “fechar as vias de fuga para aqueles que escapam dessa guerra injustificável””.

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, disse ser “horrível” ver que Moscou “atingiu uma das principais estações usadas pelos civis que estão saindo da região”. O ataque ocorreu por volta de 10h30 (horário local, 4h30 em Brasília).

Rússia culpa a Ucrânia

Imagens do míssil jogado sobre o local mostram a escrita “para as crianças” em russo, mas o Ministério da Defesa da Rússia afirma que o projétil era de um modelo “utilizado apenas pelas forças ucranianas”.

“Em 14 de março, um míssil similar lançado de uma divisão da 19ª Brigada do Exército ucraniano havia atingido o centro de Donetsk, matando 17 civis e ferindo outros 36”, disse o Ministério da Defesa russo.

Região do Donbass

A cidade de Donetsk é a capital da região de mesmo nome que, assim como a vizinha Lugansk, é palco de um conflito separatista desde 2014. A maior parte do território está sob domínio de rebeldes pró-Rússia, mas Kramatorsk ainda está em poder da Ucrânia.

Nos últimos dias, Moscou retirou suas tropas do centro e do norte da Ucrânia, incluindo os arredores da capital Kiev, para reorganizar suas forças e se concentrar na conquista do chamado Donbass, onde ficam Donetsk e Lugansk. O governo russo diz que seu principal objetivo agora é obter a “libertação” total desta parte da Ucrânia.

Cadastre-se na IMpulso e receba semanalmente um resumo das notícias que mexem com o seu bolso — de um jeito fácil de entender:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.
Compartilhe