Ata do Fed revela novo corte nas projeções para o PIB dos EUA neste e no próximo ano

Embora tenham notado melhora recente, autoridades ainda se mostram preocupadas com a difícil situação econômica do país

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O Federal Reserve divulgou nesta quarta-feira (20) a minuta de sua última reunião realizada em 28 e 29 de abril, quando manteve o juro básico norte-americano na faixa entre 0% e 0,25% ao ano. Embora tenha notado certa melhora nas últimas semanas, a autoridade ainda se mostra preocupada com a difícil situação da maior economia do mundo.

De acordo com o documento, a decisão que manteve a Fed Funds Rate no menor patamar de sua história foi novamente atribuída à atividade econômica ainda enfraquecida aliada à contínua redução das pressões inflacionárias no país.

Em suma, os membros do Fomc (Federal Open Market Committee) avaliaram que a força recessiva que atinge os EUA já perdeu força no atual trimestre. No entanto, ressaltam que ainda existem riscos que sustentam a manutenção da taxa de juro em um nível reduzido.

Comitê em alerta, mesmo com sinais favoráveis

Aprenda a investir na bolsa

Para eles, o consumo e a produção industrial devem iniciar um movimento de recuperação ainda neste ano, assim que o pacote de estímulo econômico do governo e as próprias medidas do Fed – como a compra de até US$ 300 bilhões em Treasuries – forem surtindo efeito.

Falando em medidas, alguns membros do órgão sugeriram ampliar o montante de compra de títulos de dívida no mercado além do US$ 1,75 trilhão que será adquirido, no que seria uma tentativa para acelerar o processo de recuperação da economia. No entanto, todos concordaram em esperar para ver como as condições econômicas e financeiras vão reagir às medidas já tomadas.

Voltando à análise da saúde financeira dos EUA, existem alguns pontos críticos citados pela instituição que merecem atenção. Entre eles, destaque para a deterioração do mercado de trabalho do país, com os membros do Fomc chegando à conclusão de que a taxa de desemprego deve apresentar forte crescimento em 2009.

“As informações revisadas da reunião dos dias 28 e 29 de abril indicaram que o ritmo do declínio em alguns itens começou a diminuir recentemente. (…) Em compensação, empresas cortaram produção e vagas de emprego substancialmente nos últimos meses e os investimentos continuaram a se retrair”, diz a nota.

Projeções sentem o peso

Diante do conturbado cenário traçado para a economia norte-americana, as projeções do comitê de política monetária do Fed foram mais uma vez revisadas para baixo, a exemplo do ocorrido em janeiro deste ano.

O principal destaque ficou com a nova estimativa para o PIB (Produto Interno Bruto) do país, que deverá cair entre 1,3% e 2% em 2009, se recuperando lentamente em 2010, quando é esperada uma expansão de 2% a 3% do indicador. A projeção anterior para este ano ficava entre uma queda de 0,5% e 1,3%, enquanto para 2010 apontava um crescimento entre 2,5% e 3,3%.

PUBLICIDADE

As novas projeções da autoridade também sinalizam que o desemprego nos EUA vai aumentar de forma considerável até o final do ano. A aposta para o indicador, antes na faixa de 8,5% a 8,8%, foi elevada para o intervalo de 9,2% até 9,6%.