Ásia: bolsas recuam, com exportadoras no Japão e bancos na China

Valorização do iene face ao dólar reduz ganhos externos em Tóquio; já em Xangai, forte expansão de crédito preocupa

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O índice Nikkei fechou com desvalorização nesta quinta-feira (21), guiado pelas perdas de exportadoras e varejistas. Na China, a bolsa de Hong Kong também encerrou em baixa, assim como a bolsa de Xangai, sendo a última influenciada por instituições financeiras e automobilísticas.

Iene forte, receita fraca

Conforme a prefeitura de Tóquio, dois casos da gripe suína foram confirmados na capital, sendo os primeiros infectados na região. Nesse sentido, o Ministério da Saúde afirmou na última quarta-feira (20) que o número de infectados com a doença subiu para 234, ante somente quatro a duas semanas atrás.

Aprenda a investir na bolsa

Diante da expectativa de menores vendas no varejo por uma possível aversão ao vírus, os papéis da Aeon despencaram 3,2%, assim como os da rival Seven & I Holdings, cuja desvalorização foi de 2,3%. Por outro lado, as ações da varejista online Rakuten subiram 3,9% no pregão.

Em reflexo da contração recorde no PIB (Produto Interno Bruto) do Japão, investidores reduziram o apetite por risco, o que se traduz em menos carry trade e, por decorrência, valorização do iene face ao dólar. Como resposta, os papéis de Canon e Fanuc recuaram 2,4% e 2,9%, respectivamente.

De olho no crédito

Para a Fitch Ratings, a forte expansão do crédito na China para as corporações, aliada ao declínio nos lucros operacionais, aumentará a inadimplência por parte das empresas, o que provocará “perdas de crédito para os bancos”, conforme a analista Charlene Chu. Inseridas no cenário, as ações do Minsheng Banking – primeiro banco privado do país – caíram 4,5%, em consonância com o Shanghai Pudong Development Bank, com perdas de 3%.

Por último, ênfase para a forte desvalorização de 3,3% dos papéis da SAIC Motor, assim como os da Foton Motor, que declinaram 4,1%. Tal pessimismo deve-se em parte pelas palavras de Dong Tao, analista do Credit Suisse em Hong Kong, que acredita numa “preocupação renovada quanto ao momentum de crescimento da China, que poderá gerar uma correção do mercado”.

Confira as cotações

O índice Nikkei, da Bolsa de Tóquio, encerrou o pregão em baixa de 0,86%, chegando a 9.264 pontos e, com isso, o acumulado no ano aponta para forte alta de 5,91%.

Já o índice Hang Seng, da Bolsa de Hong Kong, apresentou recuo de 1,58%, enquanto o índice Shangai Composite, da Bolsa de Xangai, caiu 1,54%.


%Var DiaPontos%Var 30D%Var Ano
Nikkei-0,869.264+6,35+5,91
Hang Seng-1,5817.199+12,52+20,82
Shangai Composite-1,542.611+2,95+43,38

PUBLICIDADE