A hora das Opções

As oportunidades com “pozinhos” de Petrobras em meio à disparada do petróleo e vencimento de opções

Luiz Fernando Roxo avalia o cenário e as melhores estratégias após o ataque contra a petroleira Saudi Aramco, na Arábia Saudita

SÃO PAULO – O inesperado ataque no fim de semana contra a petroleira Saudi Aramco, na Arábia Saudita, jogou mais um elemento de volatilidade para as ações da Petrobras (PETR3; PETR4) nesta segunda-feira (16) de vencimento de opções.

No programa “A Hora das Opções” desta semana, o gestor de investimentos Luiz Fernando Roxo avalia as melhores estratégias com “pozinhos” de Petrobras em meio a disparada das ações com a notícia do ataque, enquanto a volatilidade aumenta por conta do vencimento.

O atentado na Arábia Saudita deve gerar uma perda na produção de cerca de 5,7 milhões de barris por dia de petróleo (bpd) da companhia, montante equivalente a aproximadamente 5% da produção mundial do óleo bruto.

PUBLICIDADE

Com a notícia, o preço da commodity chegou a disparar até 19%, aliviando a alta em seguida após os Estados Unidos falarem em usar as reservas para compensar a oferta de petróleo.

Saiba o que é a estratégia dos pozinhos
A “estratégia dos pozinhos” consiste em se posicionar constantemente em opções bem fora do dinheiro (“out the money”), que dificilmente serão exercidas e estejam com um valor muito baixo, esperando uma valorização bastante considerável e gerando retornos expressivos. 

A operação pode ocorrer tanto com put (opção de venda) ou call (opção de compra), vendendo-as após uma forte alta nos preços. Se isso não acontecer, elas “viram pó”, perdendo totalmente o seu valor.

A opção é um derivativo negociado na Bolsa de Valores. E como qualquer derivativo, seu preço “deriva” da oscilação do ativo ao qual ela se lastreia – no caso de uma opção de ação, o contrato varia de acordo com as oscilações desta ação na Bovespa.

Quem compra uma opção está adquirindo o “direito” de comprar ou vender alguma ação; já quem vende a opção tem a obrigação de atender a exigência daquele que comprou o contrato.

Ou seja: se você vendeu uma opção de compra e essa opção for exercida, você terá que vender essa ação ao detentor da opção pelo preço estabelecido; se você vendeu uma opção de venda e ela for exercida, você terá que comprar esta ação ao preço estabelecido. 

PUBLICIDADE

Existem dois tipos de opções: de compra (call) e de venda (put). Quando um investidor compra uma “call”, ele está adquirindo o direito de comprar uma determinada ação a um preço já estabelecido (que é preço de exercício, ou “strike”) até um dia de vencimento já firmado. Para o investidor que compra uma “put”, ele está adquirindo o direito de vender uma ação até um dia determinado a um valor já estabelecido.

Seja sócio das melhores empresas da Bolsa: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de ações