Oportunidade na Bolsa

As melhores e piores ações do semestre – e quais delas comprar no próximo

Das 59 ações do Ibovespa, apenas 12 encerraram o semestre em queda, enquanto 17 dispararam mais de 40%

SÃO PAULO – No melhor 1° semestre da Bolsa desde 2009, apenas 12 das 59 ações do Ibovespa fecharam em queda, enquanto 17 papéis dispararam mais de 40% no período. Do lado negativo, praticamente todas os ativos foram impactados pelo mesmo motivo: o dólar. A moeda americana afundou 18,6%, indo a R$ 3,2133, acertando em cheio os papéis voltados à exportação, como as empresas do setor de papel e celulose Fibria (FIBR3, -57,77%), Suzano (SUZB5, -38,06%) e Klabin (KLBN11, -33,82%), e a fabricante de aeronaves Embraer (EMBR3, -41,80%) – que lideraram as perdas do índice nesta primeira metade do ano.

Embora alguns especialistas ainda vejam mais queda para o dólar – que bateu nesta semana a casa dos R$ 3,20 -, o analista Marco Saravelle, da Upside Investor, acredita que ainda há oportunidades nesses cases atrelados à moeda americana na Bolsa. Papéis que se tornaram bons exemplos da famosa frase “já caiu demais”. Entre elas, ele cita Suzano e BRF – como pode ser visto clicando aqui – entre as boas oportunidades do próximo semestre. 

Já do lado das altas, as ações da CSN (CSNA3, +95,50%), RaiaDrogasil (RADL3, +78,89%) e Bradespar (BRAP4, +77,35%) – holding que detém participação na Vale -figuraram no topo do Ibovespa neste semestre. Enquanto CSN e Bradespar foram beneficiadas pelo rali do minério de ferro no período, os papéis da RaiaDrogasil seguiram desafiando os mais cautelosos, que diziam no fim do ano passado que a ação já havia “subido demais”. Inserida no setor de saúde, a empresa tem se favorecido do mercado resiliente em que atua, que conta ainda com o envelhecimento populacional.

O setor de saúde é um “porto seguro”, com resiliência e ganhos sólidos, em meio ao ambiente econômico ainda desafiador, destacou o JPMorgan recentemente. Há três anos a ação da Raia Drogasil não sabe o que é cair. Nesse período, o papel acumula ganhos de fechamento do ano de 340% na Bolsa, renovando hoje sua máxima histórica, a R$ 63,10. “O acelerado processo de envelhecimento da população é um dos principais motores de longo prazo, enquanto vemos um significativo espaço para a consolidação de uma vez que a Raia Drogasil goza de apenas 10% do mercado”, reforçam a equipe de analistas. Eles também esperam que as vendas de remédios se mantenha em um ritmo de crescimento de dois dígitos.  

Além dessas 3 ações, merecem destaque também para as ações da BM&FBovespa, Ecorodovias, Multiplan, Sabesp, e BR Malls – que subiram entre 66% e 50%. O rali da BM&FBovespa veio respaldado pela possibilidade de um ambiente mais “amigável” no mercado brasileiro, com a entrada de Michel Temer e sua “equipe econômica de ouro”, enquanto Ecorodovias, Multiplan e BR Malls ganharam por serem os famosos cases que se favorecem com os juros em queda – cenário que vem sendo traçado pelos analistas para este ano. O benefício ocorre porque essas empresas precisam operar alavancadas e, com isso, um corte na Selic torna mais barata sua dívida e aumenta a atratividade de seu investimento (veja mais clicando aqui). Já a Sabesp se beneficia com a queda do dólar, dado que a maior parte de seu endividamento está em moeda americana 

Entre as maiores altas da Bolsa, veja quais ainda valem comprar clicando aqui.

Confira abaixo as 10 maiores altas e baixas do Ibovespa (para conferir outros destaques de altas e baixas clique aqui):

Maiores altas e baixas do Ibovespa no 1° semestre
EmpresaTickerVariaçãoEmpresaTickerVariação
CSNCSNA3+95,50%Fibria FIBR3 -57,77% 
RaiaDrogasilRADL3+78,89%Embraer EMBR3 -41,80% 
BradesparBRAP4+77,35%Suzano SUZB5 -38,06% 
BM&FBovespaBVMF3+66,26%Klabin KLBN11 -33,82% 
EcorodoviasECOR3+64,64%Braskem BRKM5 -27,11% 
MultiplanMULT3+58,58%Rumo RUMO3 -21,47% 
SabespSBSP3+55,06%BRF BRFS3 -18,19% 
BR MallsBRML3+50,49%JBS JBSS3 -15,23% 
SmilesSMLE3+48,00%Marfrig MRFG3 -11,50% 
Bradesco ONBBDC3+46,52%Cesp CESP6 -11,41% 

COMPRAR OU VENDER?

4 ações que de tanto caírem em 2016 tornaram-se uma ótima oportunidade de compra:

PUBLICIDADE