Destaques do mês

As 5 maiores altas e as 5 maiores baixas do Ibovespa no mês de setembro

Enquanto a Marfrig registrou de longe a maior alta do benchmark da bolsa, as ações da Eletrobras tiveram a maior queda

SÃO PAULO -Após queda no mês passado, o Ibovespa registrou um setembro de ganhos, com alta acumulada de 3,57%.

Entre os grandes destaques deste mês, a Marfrig (MRFG3, R$ 11,02, +31,98%) ficou na primeira posição, após ter figurado como a terceira maior alta em agosto.

Os catalisadores foram parecidos com os registrados no mês passado, com mais um período positivo guiado pelas expectativas de alta nas vendas com a gripe suína na China, o que abriu as portas para que o gigante asiático autorizasse mais frigoríficos brasileiros a exportarem para o País.

PUBLICIDADE

Tal acréscimo da demanda fez com que a companhia abrisse 400 vagas para a área de desossa em sua planta em Promissão (SP), onde também irá adicionar um novo turno da operação. A companhia destacou ainda ter o maior número de plantas habilitadas para a China na América do Sul.

Lado a lado no pódio, estão a Suzano (SUZB3, R$ 33,65, +15,72%) e a Braskem (BRKM5, R$ 32,52, +15,24%), com ganhos de cerca de 15% no período, mas ainda com quedas significativas no ano. A empresa de papel e celulose ainda sofre com as perspectivas negativas para o papel e celulose com a desaceleração da economia chinesa, mas teve um alívio no mês em meio à demanda maior e mercado mais apertado no gigante asiático.

Já a Braskem viu seus papéis apontarem recuperação no mês, ainda mais com notícias (depois negadas) de que a venda da fatia da Odebrecht na companhia poderia ser retomada. O avanço (ainda que a passos lentos) das negociações entre Estados e China sobre um acordo comercial também ajudaram a impulsionar commodities, o que beneficiou a ação da empresa.

As aquisições da Yduqs (YDUQ3, R$ 36,08, +14,69%), da antiga Estácio Participações, como da UniToledo, impulsionaram os ganhos da companhia de educação enquanto que, em quinto lugar, estão as ações da Ecorodovias (ECOR3, R$ 14,10, +13,71%). Na última sexta-feira, a companhia venceu o leilão para concessão da rodovia BR-364/365 realizado na B3. A empresa ofereceu uma tarifa de pedágio de R$ 4,69, o que significou um lance 33,1% menor do que o valor máximo estipulado pelo governo federal de R$ 7,02. “A estratégia ao entrar no leilão nos parece acertada devido ao fato de já administrar um dos trechos que ligam Goiás até o polo de Uberlândia e tem o agronegócio como principal usuário”, destacou a Levante Ideias de Investimento.

As maiores altas do Ibovespa em setembro: 

Empresa Ticker Cotação Variação no mês
MarfrigMRFG3R$ 11,02+31,98%
SuzanoSUZB3R$ 33,65+15,72%
BraskemBRKM5R$ 32,52+15,24%
YduqsYDUQ3R$ 36,08+14,69%
EcorodoviasECOR3R$ 14,10+13,71%

Maiores baixas

A maior queda do Ibovespa ficou para as duas ações mais líquidas da Eletrobras (ELET3, R$ 40,15, -12,60%; ELET6, R$ 42,02, -10,50%), em um mês que trouxe dúvidas sobre o projeto de privatização da companhia. No final do mês, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, afirmou que o Senado não tem disposição para aprovar um projeto de privatização da companhia de energia, lembrou que 48 senadores do Norte e do Nordeste são contra a operação, o que tornaria inviável a aprovação de um projeto com o modelo desenhado. Segundo ele, há um “receio” na Casa em autorizar a venda.

A MRV (MRVE3, R$ 17,64, -10,46%) foi a terceira maior queda do índice no período. O mês de setembro foi bastante conturbado para a companhia após o anúncio, no último dia 3, de estudos sobre o potencial de investimentos na AHS Residential, empresa sediada nos EUA do empresário Rubens Menin, maior acionista da MRV com 32% dos papéis (e também fundador e presidente do conselho da AHS), o que gerou discussões sobre a governança corporativo da empresa, além da falta de sinergias claras entre as operações. Depois da reação negativa, a construtora destacou que irá deliberar em assembleia o possível investimento.

PUBLICIDADE

Em seguida, estiveram os papéis do Pão de Açúcar (PCAR4. R$ 79,80, -8,86%) e da CSN (CSNA3, R$ 13,23, -5,91%), esta última com os investidores embolsando os ganhos após meses seguidos de recuperação, em um cenário ainda incerto para o minério de ferro.

As maiores baixas do Ibovespa em setembro:

 

EmpresaTickerCotaçãoVariação no mês
Eletrobras ONELET3R$ 40,15-12,60%
Eletrobras PNBELET6R$ 42,02-10,50%
MRVMRVE3R$ 17,64 -10,46%
Pão de AçúcarPCAR4R$ 79,80-8,86%
CSNCSNA3R$ 13,23-5,91%

Seja sócio das melhores empresas da Bolsa: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de ações