Destaques da bolsa Ações de Petrobras, Vale e siderúrgicas caem seguindo commodities em meio à cautela com acordo comercial

Ações de Petrobras, Vale e siderúrgicas caem seguindo commodities em meio à cautela com acordo comercial

Veja a lista

As 10 empresas na bolsa que valem menos que o Neymar – e um fato em comum que marca quase todas elas

A cada ano que passa, o mercado do futebol mostra-se mais aquecido, com transferências milionárias, em alguns casos - como a provável venda do Neymar - mais caras que muitas empresas listadas na bolsa e com décadas de história, mostra um levantamento da consultoria Suno Research

SÃO PAULO – Perto de ser anunciado pelo Paris Saint-Germain por expressivos 222 milhões de euros, ou R$ 822 milhões, Neymar vale atualmente mais do que muitas empresas listadas na bolsa brasileira, que faturam milhões – ou em alguns casos bilhão – por ano e possuem décadas de história. 

Um levantamento feito pela casa de análise independente Suno Research aponta ao menos 10 empresas nessa situação e que são bastante conhecidas do público. 

Em comum, contudo, 9 dessas 10 empresas apresentaram prejuízo líquido no ano passado. A única que saiu ilesa de ter sua última linha do balanço no vermelho foi a Unipar Carboclo, companhia que ganhou destaque recentemente diante de um polêmico processo de fechamento de capital, mas que foi suspenso nos últimos dias.  

PUBLICIDADE

Veja abaixo a lista:
*
Valor de mercado referente ao pregão da última quarta-feira (2)

Tecnisa (TCSA3) – valor de mercado: R$ 775 milhões

Fundada em 1977, a construtora apresentou receita líquida de aproximadamente R$ 341 milhões no ano passado, mas prejuízo líquido de cerca de R$ 450 milhões.

Em 2017, suas ações acumulam alta de 7,64%.   

Unipar Carbocloro (UNIP6) – valor de mercado: R$ 730 milhões

Fundada em meados 1969, a Unipar – empresa fabricante de cloro, soda e derivados – ganhou destaque nos últimos meses em meio a polêmicas envolvendo um processo fechamento de capital (veja mais aqui). Semana passada, contudo, que poderia marcar a despedida da empresa da bolsa, o acionista controlador, a Vila Vellha, pediu pela suspensão da OPA (Oferta Pública de Aquisição). 

PUBLICIDADE

A empresa, que já passou por diversas mudanças desde o ano de sua criação, apresentou, ano passado, receita líquida e lucro líquido de quase R$890 milhões e R$281 milhões, respectivamente.

No ano, as ações da companhia acumulam ganhos de 116,84%.

Triunfo (TPIS3) – valor de mercado: R$ 673 milhões

Fundada em 1999, a Triunfo atua no setor de infraestrutura e oferece serviços em diversos segmentos, como o de concessão rodoviária, por exemplo.

Em 2016, a empresa apresentou receita líquida superior a R$1,5 bilhão, mas um prejuízo de R$318 milhões.

Em 2017, as ações da companhia registra ganhos de 20,50%.

Portobello (PTBL3) – valor de mercado: R$ 593 milhões

Fundada em 1979, a Portobello, empresa brasileira com atuação no ramo de revestimentos cerâmicos, apresentou uma receita líquida pouco maior que R$1 bilhão ano passado. No entanto, a empresa contou com um prejuízo de R$ 6 milhões.

Em 2017, as ações da empresa registram alta de 89,94%. 

Gafisa (GFSA3) – valor de mercado: R$ 314 milhões

A Gafisa, empresa que atua no mercado imobiliário brasileiro com foco em empreendimentos comerciais e residenciais, teve sua fundação no ano de 1954.

Em 2016, a empresa apresentou receita líquida superior a R$ 900 milhões, mas com prejuízo pouco maior que R$1 bilhão.

Em 2017, as ações da Gafisa acumulam queda de 33,07%. 

Eternit (ETER3) – valor de mercado: R$ 231 milhões

A Eternit, fundada em 1940, pertencente à indústria de coberturas do Brasil e tem atuação nos segmentos de telhas de fibrocimento e concreto.

Em 2016, a empresa registrou receita líquida de R$ 827 milhões, mas teve prejuízo de pouco mais de R$ 27 milhões.

Neste ano, a ação da companhia acumulam queda de 3,03%. 

Bombril (BOBR4) – valor de mercado: R$ 215 milhões

A Bombril, empresa do setor de higiene e limpeza doméstica, foi fundada no início de 1948.  

Em 2016, a empresa apresentou receita líquida de R$ 1 bilhão, contudo, contou com um prejuízo de quase R$ 25 milhões.

Neste ano, a ação acumula valorização de 92,12%. 

Forjas Taurus (FJTA4) – valor de mercado: R$ 170 milhões

A Forjas Taurus, fabricante de armamentos e coletes à prova de balas, foi fundada em 1939.

No ano passado, a empresa apresentou receita líquida de R$ 830 milhões, mas um prejuízo de pouco mais de R$ 100 milhões.

Neste ano, a ação acumula alta de 63,89%. 

Coteminas (CTNM4) – valor de mercado: R$ 152 milhões

A Coteminas, empresa pertencente ao ramo têxtil, foi fundada no ano de 1967, em Minas Gerais.

Em 2016, a receita líquida da empresa foi de quase R$ 2,7 bilhões. Em contrapartida, o prejuízo foi pouco maior que R$ 144 milhões.

Em 2017, a ação acumula ganhos de 42,62%

Saraiva (SLED4) – valor de mercado: R$ 137 milhões

A livraria Saraiva foi fundada em 1914 na cidade de São Paulo.

Em 2016, a empresa registrou receita líquida um pouco maior que R$ 1,7 bilhão, mas prejuízo de cerca de R$ 58 milhões.

No ano, as ações registram ganhos de 31,88%.