Por dentro dos resultados

Lucro da JHSF salta 5.000% e CEO vê próximos trimestres ainda melhores, com mais dividendos aos acionistas

Em live do InfoMoney, executivo detalhou o balanço da companhia, tirou dúvidas de investidores e explicou estratégia que pode render mais caixa no futuro

SÃO PAULO – Enquanto o setor de shopping centers foi um dos que mais sofreram com a pandemia do coronavírus, com o fechamento de unidades por diversas semanas, a construção civil não foi tão impactada. E por conta do seu modelo de negócio diferenciado, a JHSF (JHSF3) conseguiu entregar um bom resultado no auge da crise.

A empresa registrou lucro líquido de R$ 254 milhões no segundo trimestre, uma alta de 5.028% sobre o mesmo período de 2019. Entre abril e junho, a companhia ainda viu sua receita avançar 80%, para R$ 253,2 milhões, beneficiada principalmente pelo crescimento de 531,8% nas vendas do empreendimento Fazenda Boa Vista, que compensou a queda na receita de shoppings, restaurantes e hotéis em meio à pandemia.

PUBLICIDADE

Em live do InfoMoney, Thiago Alonso, CEO da JHSF, explicou um pouco como funciona o negócio da companhia, focada em atender a classe de alta renda. “A empresa atua em quatro unidades de negócios: incorporação imobiliária; venda recorrente, que é o somatório de varejo, shopping centers e estratégias digitais; hospitalidade e gastronomia, que inclui os negócios com a Fasano; e de aeroporto executivo.”

Sobre o balanço, Alonso explica que a diversificação dos negócios da empresa fez com que atuassem como “forças contrárias entre si”. “O negócio da incorporadora e do aeroporto cresceram bastante no trimestre […] Já os shoppings e operações de restaurantes e hotéis, por questões regulatórias, tiveram as atividades suspensas, então acabaram tendo uma queda de resultado”, diz o executivo.

A live faz parte da série Por dentro dos resultados, em que CEOs e CFOs de empresas abertas comentam os resultados do ano e respondem dúvidas de quem estiver assistindo. Nos próximos dias, haverá lives com Marisa, Hermes Pardini, d1000, Profarma e outras companhias (veja a agenda completa e como participar).

Alonso ainda destacou que a expectativa é que o desempenho da JHSF siga melhorando, mesmo após um segundo trimestre já forte. Ele lembra que, no fim do primeiro trimestre, o que se via era o processo de fechamento dos negócios e isolamento, enquanto no fim do segundo trimestre começou a reabertura.

“A nossa expectativa, olhando para estes negócios mais impactados, para o terceiro trimestre, é de melhora em relação ao segundo trimestre. Aparentemente o pior ficou para trás”, afirma.

Além disso, Alonso também explicou o raciocínio que a empresa tem e que deve gerar mais caixa nos próximos trimestres, ficando além do necessário, o que, por sua vez, pode resultar em um aumento no pagamento de dividendos no futuro.

PUBLICIDADE

O executivo também explicou a recente operação da Polícia Federal em seus escritórios. Ressaltou que isso envolve uma outra empresa e que as autoridades estão, buscando informações com companhias que fizeram negócios com ela, por isso a JHSF acabou envolvida.

Confira no player acima a íntegra da live realizada com Thiago Alonso com detalhes sobre estes e outros assunto questionados pelos investidores.

Curso gratuito do InfoMoney ensina como lucrar na Bolsa fazendo operações que podem durar poucos minutos ou até segundos: inscreva-se!