Teleconferência

Após lucro crescer 172%, Anhanguera segue otimista com os próximos meses

Em teleconferência, diretor presidente diz que a empresa focará mais em investimentos e menos em aquisições

SÃO PAULO – Depois de mais do que dobrar o seu lucro, a Anhanguera Educacional (AEDU3) disse estar confiante de que continuará a apresentar resultados robustos. Nesta terça-feira (6), a empresa registrou lucro líquido 172,16% maior na comparação com um ano antes, para R$ 17,6 milhões.

“Os resultados vieram em linha com o que esperávamos, e nossa perspectiva de crescimento e ganho de margem é muito boa”, ressaltou o diretor presidente da empresa, Ricardo Scavazza, em teleconferência realizada nesta terça. “Vamos continuar crescendo de forma rápida e acelerar nosso ganho de escala e rentabilidade nos próximos anos”, acrescentou.

Segundo o executivo, o número menor de evasão de alunos colaborou para melhorar os resultados da empresa. Somado à isso, foi registrado menor volume de inadimplência, puxado, especialmente, por conta do Fies (programa de Financiamento Estudantil.  Os tíquetes mais elevados também calibraram as margens da empresa.

Entre os projetos da empresa em andamento,  há o dos cinco campus em construção, que deverão ser abertos até 2014, e que expandirá o segmento de pólos em mais de 200.

Em relação às aquisições, a empresa ressaltou que, se fizer mais, será de forma modesta, de forma que não precise captar recursos nem aumentar o endividamento.

Resultados
A companhia registrou receita líquida 36,5% maior na passagem anual, somando R$ 422,2 milhões de julho a setembro, o que se deve à alta de 23,1% no número médio de alunos, que atingiu 441,1 mil, e à elevação do ticket médio em 10,9%.

O Ebitda (Lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) ficou em R$ 91,6 milhões, ou 14,2% maior ao reportado no terceiro trimestre de 2011. A margem Ebitda (Ebitda/Receita Líquida) caiu 4,2 pontos percentuais, para 21,7%.