Bolsa

Após cair 2%, Ibovespa reage e fecha em alta com expectativa de plano na Grécia

Índice seguiu bolsas internacionais e virou de queda para alta puxado principalmente pelas blue chips com a notícia de que a Eurozona admite a possibilidade de criar um fundo para salvar os gregos

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Após chegar a cair 2% durante a manhã e confirmando o cenário negativo confirmado na véspera, o Ibovespa virou para alta nesta terça-feira (7), impulsionado principalmente na última hora de pregão com a notícia de que a zona do euro considera uma proposta para dar à Grécia um financiamento emergencial via fundo para impedir um novo default. Destaque para as ações da Petrobras (PETR3, R$ 13,16, +2,41%%; PETR4, R$ 11,78, +2,61%) e da Vale (VALE3, R$ 17,93, +1,59%; VALE5, R$ 15,15, +1,20%), que conseguiram fechar no positivo após caírem mais de 5% pela manhã.

O benchmark da Bolsa brasileira subiu 0,37%, a 52.344 pontos, acompanhando as bolsas americanas, que também ganharam força com a novidade na Grécia. O volume financeiro negociado na Bovespa foi de R$ 7,187 bilhões. Ao mesmo tempo, o dólar comercial teve alta de 1,28%, a R$ 3,1809 na compra e a R$ 3,1825 na venda depois de bater R$ 3,1995 na máxima do dia. No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2017 zerou ganhos e ficou estável em 13,74%, enquanto o DI para janeiro de 2021 virou para uma queda de 2 pontos-base, a 12,63%. 

Além da questão grega, o FMI (Fundo Monetário Internacional), reiterou nesta terça que os Estados Unidos não devem elevar os juros antes de 2016, diante das incertezas no mercado internacional. A notícia acaba tendo um impacto nas ações, pois a elevação dos juros nos EUA pode fazer com que o capital aplicado na renda variável (principalmente em emergentes) migre para a economia americana.

Aprenda a investir na bolsa

Reação de Petrobras e Vale
Da mínima para a máxima, as ações da Petrobras subiram 9%, ao passo que as da Vale dispararam 8% do seu fundo ao topo diário. Isso apesar da queda de 5,1% do minério do porto de Qingdao, que fechou cotado a US$ 49,60 a tonelada. Repercutindo as notícias da Grécia e dos EUA, o barril do petróleo WTI (West Texas Intermediate) subiu 1,28%, a US$ 53,17, após cair mais de 3% no intraday.

Ainda sobre a Petrobras, saiu na noite anterior que o Tribunal Arbitral proferiu no último dia 2 de julho, uma decisão cautelar que determina que a Petrobras passe a depositar trimestralmente, em favor da ANP, a quantia de R$ 350 milhões, que poderá a chegar ao total de R$ 2,2 bilhões. A quantia refere-se à arbitragem proposta pela Petrobras a respeito da resolução da ANP (Agencia Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), que considera as concessões de Baleia Anã, Baleia Azul, Baleia Franca, Cachalote, Caxaréu, Jubarte e Pirambu como um único campo a partir do segundo trimestre de 2014. A estatal ressalta que “se trata de decisão de natureza preliminar, tendo em vista que os árbitros não decidiram sobre o mérito da matéria”.

 Já sobre a Vale, o movimento de reação veio mesmo depois do minério de ferro spot 62% no porto de Qingdao despencar 5,1%, a US$ 49,60 a tonelada (vale mencionar que ele é negociado na China, ou seja, ele estava fechado quando a Vale reagiu).

Bancos e BRF
Acompanhando a melhora no humor do mercado, as ações do setor financeiro mostraram forte recuperação – vale lembrar que elas representam quase 30% da composição do Ibovespa. As ações do Bradesco (BBDC3, R$ 27,38, +0,15%; BBDC4, R$ 27,87, -0,46%) fecharam em direções opostas e o Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 34,05, +0,38%) mostrou alta, mas todas elas fecharam próximas das máximas. Já o Banco do Brasil (BBAS3, R$ 23,42, -1,80%) teve uma queda mais acentuada.

Já a BRF (BRFS3, R$ 69,07, +5,24%) disparou com o comunicado do fundo de pensão Petros dizendo que não pretende se desfazer das ações da empresa, negando assim os rumores levantados semana passada quando deram conta que o fundo pretendia deixar a carteira mais “conservadora”. Além disso, a BRF foi incluída no novo índice de sustentabilidade europeu, composto por papeis de companhias de mercados emergentes. Elaborado pela Euronext (principal bolsa da Europa), em parceria com a Vigeo (líder em rating de responsabilidade corporativa e social), o índice foi lançado no final de junho e servirá de referência para investidores que negociam em bolsas europeias.

As maiores altas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód.AtivoCot R$% Dia% AnoVol1Links
 BRFS3 BRF SA ON EJ69,07+5,24+10,53510,46M 
 CPFE3 CPFL ENERGIA ON19,30+3,43+7,7246,60M 
 GGBR4 GERDAU PN7,02+3,08-25,77104,82M 
 PETR4 PETROBRAS PN11,78+2,61+17,56779,00M 
 PETR3 PETROBRAS ON13,16+2,41+37,23304,42M 

PUBLICIDADE

No lado negativo, aparece mais uma vez a Gol (GOLL4, R$ 6,23, -4,30%), que já caiu 15,5% nos últimos 5 pregões e consolida-se como a “pior ação do ano”, ao liderar as perdas do Ibovespa com queda acumulada de 58,96% em 2015. Além da retração da economia brasileira – o que impacta diretamente a demanda por voos domésticos -, a companhia aérea é duramente afetada pela alta do dólar, uma vez que seus custos operacionais são lastreados na moeda americana.

As maiores baixas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód.AtivoCot R$% Dia% AnoVol1Links
 GOLL4 GOL PN N26,23-4,30-58,9611,29M 
 OIBR4 OI PN5,27-3,30-38,797,77M 
 CMIG4 CEMIG PN11,15-3,30-12,4355,72M 
 RUMO3 RUMO LOG ON1,27-3,05-27,2716,95M 
 ECOR3 ECORODOVIAS ON7,28-2,93-28,1711,06M 

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram :

 CódigoAtivoCot R$Var %Vol1Vol 30d1Neg 
 PETR4 PETROBRAS PN11,78+2,61779,00M501,38M59.304 
 BRFS3 BRF SA ON EJ69,07+5,24510,46M165,35M19.250 
 VALE5 VALE PNA15,15+1,20384,44M292,41M39.846 
 ITUB4 ITAUUNIBANCO PN ED34,05+0,38315,45M412,92M25.245 
 PETR3 PETROBRAS ON13,16+2,41304,42M205,80M33.155 
 BBDC4 BRADESCO PN EJ27,87-0,46252,27M213,54M19.533 
 ABEV3 AMBEV S/A ON19,25+0,26183,51M186,39M20.321 
 JBSS3 JBS ON15,96-0,19182,67M107,84M35.187 
 CIEL3 CIELO ON44,39-0,36151,10M157,98M12.579 
 VALE3 VALE ON17,93+1,59137,74M85,44M24.266 

* – Lote de mil ações
1 – Em reais (K – Mil | M – Milhão | B – Bilhão)
 

Brasil: de Dilma à Ambev
A fabricante de bebidas Ambev (ABEV3, R$ 19,23, +0,16%) fechou a compra da Colorado, marca especializada em cervejas artesanais de Ribeirão Preto, interior de São Paulo, informou a maior cervejaria do país nesta terça-feira. O valor da operação não foi divulgado. Fundada em 1996, a Colorado produz cervejas que misturam malte e lúpulo com ingredientes como café, rapadura, mandioca, mel e castanha do Pará. A empresa exporta para mercados como França e Estados Unidos.)

No cenário político, repercutiu o crescimento da tese do impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), que classificou como “golpista” a ideia de tirá-la do governo. Em entrevista à Folha de S. Paulo, Dilma defendeu seu mandato e desafiou quem defende a sua saída a provar que ela algum dia “pegou um tostão de dinheiro sujo”. “Não tem base para eu cair, e venha tentar. Se tem uma coisa que não tenho medo é disso”, afirmou, acusando setores da oposição de serem “um tanto golpistas”. 

Ainda no quadro doméstico, o Planalto anunciou a criação de um novo programa com objetivo de evitar novas demissões na indústria, em reação ao constante aumento do nível de desemprego e para evitar a queda da popularidade da presidente. O Plano de Proteção ao Emprego (PPE), criado por meio de Medida Provisória, consiste em que a jornada de trabalho e salários sejam reduzidos em 30% em momentos de crise, ou de queda forte da produção. O FAT, Fundo de Amparo ao Trabalhador, complementará com recursos, fazendo com que o salário do empregado seja cortado em até 15%.

Pressão na Grécia; queda na China
A maior parte dos índices acionários asiáticos fechou em queda nesta terça-feira, reagindo a novo recuo da bolsa chinesa, que perturbou investidores já aturdidos por incertezas sobre o futuro da Grécia e do bloco monetário europeu. O índice chinês chegou a cair mais de 5% durante a sessão, apesar de medidas sem precedentes adotadas no último fim de semana para estabilizar o mercado, mas fechou em queda de 1,26%. O índice japonês Nikkei subiu mais de 1% após marcar forte queda na segunda-feira.

PUBLICIDADE

Após uma reunião sem grandes conclusões nesta manhã, os ministros das Finanças da zona do euro farão uma teleconferência na quarta-feira para discutir o esperado pedido grego por um empréstimo a médio prazo do Mecanismo Europeu de Estabilidade Financeira (ESM, na sigla em inglês).

Nesta tarde, uma autoridade do governo grego disse que o país está pedindo a seus parceiros da zona do euro uma solução temporária para suas necessidades de financiamento que cobriria o restante deste mês, enquanto se busca um acordo de longo prazo. Os líderes da zona do euro podem ter uma nova cúpula de emergência no domingo para aprovar um plano de ajuda à Grécia se as instituições credoras ficarem satisfeitas com um pedido por empréstimo e um plano de reforma do país.