Após anúncio de fusão, S&P decide revisar os ratings de Sadia e Perdigão

Para a nota da Sadia, CreditWatch será feito com implicações positivas; já a da Perdigão pode ser rebaixada

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Após o anúncio da fusão entre a Perdigão (PRGA3) e a Sadia (SDIA4), formando a BRF (Brasil Foods), a agência de risco Standard & Poor’s colocou os ratings da Perdigão em CreditWatch (análise de crédito) negativo e os da Sadia em CreditWatch positivo.

Segundo a S&P, a colocação do ratings em revisão deve-se a diversos fatores ligados ao acordo de unificação das operações das duas companhias, dentre elas a aprovação do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), a alienação do Banco Concórdia – criado para financiar a cadeia de fornecedores e clientes da Sadia – e a adesão dos atuais acionistas das companhias.

A agência ainda confirma que os ratings da Perdigão podem ser rebaixados em função do volume considerável de dívida que a Sadia traria para os números consolidados da BRF (Brasil Foods). Contudo, a nova empresa teria um fluxo de caixa mais robusto, o que atenuaria o risco relacionado à estrutura de capital altamente alavancada da Sadia.

Perspectivas positivas para a BRF

Aprenda a investir na bolsa

A receita líquida pró-forma que a Brasil Foods teria apresentado em 2008, de R$ 22 bilhões, posicionaria a nova empresa não só como uma das maiores companhias alimentícias do País, mas também como uma das grandes exportadoras. Também foi informado que a BRF pretende realizar uma IPO (Oferta Pública de Ações), estimada em R$ 4 bilhões.

A S&P espera a conclusão da associação das empresas para que assim consiga igualar os ratings de ambas as frigoríficas. “Não é possível indicar qual será o patamar de rating que refletirá a qualidade de crédito consolidada das empresas, visto que dependerá da capacidade da BRF de emitir ações para captar recursos”, concluiu a agência.