Destaque de alta

Após acordo com V&M, mercado mostra confiança e ações da LLX saltam 9%

Companhia firmou contrato para instalação de base logística na retroárea do Superporto do Açu

*Atualizado às 10h58 (horário de Brasília)

SÃO PAULO – As ações da LLX Logística (LLXL3) abrem o pregão desta quinta-feira (20) na esteira do anúncio sobre o acordo com a V&M do Brasil para instalação de uma base logística na retroárea do Superporto de Açu. Em pouco mais de uma hora de negociação na bolsa, as ações da companhia lideram os ganhos do Ibovespa, enquanto o índice enfrenta forte volatilidade e luta para se firmar no positivo.

Às 10h58 (horário de Brasília), os papéis da companhia disparavam 6,33%, aos R$ 2,35, e estavam entre as 10 mais negociadas do índice, com giro financeiro de R$ 11,8 milhões. Na máxima do dia, as ações atingiram alta de 9,05%, aos R$ 2,41.

“É um contrato importante, pois traz credibilidade para o mercado sobre os projetos da empresa”, disse o analista Henri Evrard, da Infinity Asset. O contrato terá a duração de vinte anos, sendo renováveis por mais vinte. A base da V&M do Brasil será destinada ao atendimento das companhias de petróleo que atuam na Bacia de Campos, através da armazenagem e fornecimento de tubos e serviços especializados.

Segundo o analista, a LLX está muito relacionada com outras empresas do Grupo EBX, de Eike Batista, e qualquer contrato com outros players do mercado traz mais confiança para os investidores. 

“O mercado já penalizou bastante as ações da companhia e um acordo com empresas fora do grupo mostra a seriedade de seus projetos. E isso reflete nos papéis agora, que estão muito depreciados, mas ainda têm muito valor a transparecer”, avalia o analista. 

V&M: uma gigante internacional
A V & M do BRASIL faz parte do grupo internacional Vallourec, é líder mundial em soluções tubulares Premium fornecendo principalmente para o mercado de Energia (Óleo e Gás, Powergen). A empresa conta com 22.200 funcionários, € 5,3 bilhões em vendas, em 2011 – 73% dos quais fora da Europa – plantas industriais em mais de 20 países e um avançado setor de Pesquisa e Desenvolvimento.  

Para o Diretor-Geral da V & M do BRASIL, Alexandre Lyra, “a base logística será muito importante para otimizar o atendimento aos nossos clientes com tubos OCTG (oil country tubular goods) para exploração e produção de petróleo. A nova base nos permitirá ampliar o oferecimento de serviços e soluções a esses clientes, incluindo, por exemplo, a OGX”, afirma.