AOL e Time Warner estão cada vez mais próximas da fusão

Conteúdo do Portal InfoMoney – Editoria Mercados

Por  Equipe InfoMoney

O Federal Trade Comission (FTC) aprovou por unanimidade, nesta quinta-feira, a aquisição da Time Warner pela America Online, em um negócio estimado entre US$ 109 bilhões e US$ 111 bilhões. A aprovação do órgão norte-americano somente foi obtida após o comprometimento de que a rede de cabo que a empresa resultante da fusão detém possa ser utilizada por outros provedores de Internet.

O processo de fusão teve que superar o indício de concentração no setor, citado como o principal empecilho para a aprovação do FTC. O conglomerado resultante poderia monopolizar tanto o mercado de serviços de Internet quanto o de conteúdo em mídia. A AOL é o maior provedor de acesso de Internet do mundo, com 26 milhões de assinantes, enquanto a Time Warner detém a segunda maior rede de cabos dos EUA, atrás somente da AT&T.

O acordo foi amplamente criticado quando anunciado, em especial pela concorrência – como Disney e outros provedores de acesso à Internet. O principal argumento era de que a nova empresa poderia discriminar outros provedores que queiram acesso à conexão de alta velocidade da companhia. Aol e Time Warner afastaram esta possibilidade, tomando providências para evitar um comportamento anticompetitivo no mercado, liberando o acesso à sua rede de cabeamento para os competidores.

Com o consentimento do FTC ao negócio, uma revisão da Federal Communication Comission (FCC) será o obstáculo seguinte. O FCC deverá determinar se a transferência de licenças de transmissão da Time Warner para a AOL está de acordo com o interesse público. Porém, a aprovação do FTC ao negócio oferece o aval necessário para que a FCC siga a mesma linha e a fusão seja aprovada.

As ações da América Online fecharam o pregão de hoje cotadas a US$ 49,95, em alta de 3,10%, enquanto as ações da Time Warner fecharam negociadas a US$ 74,74, representando valorização de 2,95%. As ações da Time Warner acumulam alta de 3,36% desde o início do ano, por outro lado, os papéis da AOL acumulam queda de 34,17% no mesmo período.

Compartilhe