"Números impressionantes"

Ânima (ANIM3) tem dados operacionais muito fortes, apontam analistas, que veem potencial de alta de até 160% para ação

“Os resultados foram sólidos, pois a empresa conseguiu apresentar grandes melhorias operacionais no trimestre”, destaca a XP

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – Apesar de não repercutir no desempenho das ações em meio à sessão de aversão ao risco do mercado, os resultados do terceiro trimestre da Ânima (ANIM3) foram muito elogiados pelos analistas de mercado. Às 16h12 (horário de Brasília), os papéis ANIM3 registraram queda de 2,34%, a R$ 7,11.

A Ânima registrou lucro líquido ajustado de R$ 58,6 milhões no período, 66% acima da estimativa da XP, que destacou  resultados operacionais impressionantes. Os analistas destacam três pontos para a alta do lucro líquido, impulsionado por (i) um aumento de 133% na receita líquida, principalmente suportado por aquisições, (ii) uma margem Ebitda (Ebitda sobre receita líquida) ajustada de 42,2%, impulsionada por redução em custos docentes e despesas corporativas; e (iii) despesas financeiras líquidas de R$ 307 milhões, geradas por um endividamento líquido de R$ 4,7 bilhões.

“Os resultados foram sólidos, pois a empresa conseguiu apresentar grandes melhorias operacionais no trimestre, reforçando a nossa visão positiva em relação às ações – independentemente da elevada alavancagem carregada pela empresa”, apontam os analistas da XP.

O Itaú BBA também destacou os números como positivos ressaltando que, do ponto de vista orgânico, os resultados da Ânima revelaram boas tendências em termos de base de alunos e crescimento de tíquetes, capturando os benefícios do modelo E2A, ou o Ecossistema Ânima de Aprendizagem (E2A). O E2A é baseado em três pilares: 1) trajetória personalizada com conteúdos flexíveis; 2) foco no projeto de vida e na carreira dos estudantes; 3) docentes mentores.

Já olhando para os resultados consolidados, o BBA destaca que a Laureate foi integrada com rentabilidade sólida, indicando que os benefícios da sinergia estão no caminho certo.

As receitas saltaram e ficaram 3,1% acima da estimativa da XP, suportadas por um aumento de 169% na base anual no número de alunos (queda de 4% organicamente) e uma redução de 9,2% na base anual no preço médio (alta de 2,4% organicamente).

As compras feitas nos últimos doze meses somaram 199 mil alunos, sendo: (i) 7 mil na Inspirali (vertical de medicina); (ii) 134 mil presenciais (excluindo a Inspirali); e (iii) 57 mil em ensino digital. A captação presencial aumentou ​​8,3% de forma anual organicamente, com apenas 4,9% dos novos alunos contando com financiamento governamental ou privado.

Já a margem bruta caixa foi de 65,8%, alta de 5,8 pontos percentuais na base anual, principalmente devido a uma redução nos custos docentes graças à implementação do modelo acadêmico E2A nas unidades adquiridas. A companhia destacou que o E2A deve continuar rendendo ganhos de margem daqui para frente, já que o modelo ainda será implementado nas unidades adquiridas em junho de 2021.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As sinergias também ganham destaque, com a margem Ebitda ajustada de 42,2% (alta de 13,7 pontos na base anual e 13,3 pontos acima da projeção da XP), impulsionada (i) pelo aumento de 5,8 pontos na base anual na margem bruta caixa, e (ii) uma diluição de 9,1 pontos na base anual nas despesas corporativas. Segundo a empresa, das sinergias anuais estimadas de R$ 350 milhões com a Laureate, R$32 milhões já impactaram o Ebitda do período.

Já sobre o endividamento, que totalizava R$ 4,7 bilhões (R$ 3,1 bilhões excluindo arrendamentos), deveu-se em grande parte à emissão de debêntures no valor de R$ 2,5 bilhões para aquisição da Laureate, e a empresa está atualmente executando um plano de ação para trazer o endividamento a um nível mais saudável.

A XP tem recomendação de compra para a ação ANIM3, com preço-alvo de R$ 15, ou uma alta de 106% em relação ao fechamento de sexta-feira (12). Já o Itaú BBA, que tem recomendação outperform (desempenho acima da média do mercado), possui preço-alvo de R$ 19 para o final de 2022, ou um potencial de alta de 160%.

O BTG também tem recomendação de compra com preço-alvo de R$ 15. “Gostamos da melhoria recorrente nos resultados operacionais da Ânima (já apresentando benefícios iniciais da combinação de negócios com a Laureate) e o progresso de desalavancagem. Reiteramos nossa classificação de compra pois acreditamos nos fundamentos por trás de sua recuperação de margem são menos dependentes do cenário macro adverso atual (ou seja, agenda micro da companhia para compensar o cenário macro atual)”, apontam os analistas.

CDB com 300% do CDI? XP antecipa Black Friday com rentabilidade diferenciada para novos clientes. Clique aqui para investir agora!

Compartilhe