Fusões e aquisições

Analistas veem entrada da M.Dias Branco no setor de comida saudável como positiva: “forte crescimento e altas margens”

Impactos relevantes, contudo, devem ser vistos apenas no longo prazo, segundo analistas do mercado, dado o tamanho da aquisição

Por  Mariana Zonta d'Ávila -

SÃO PAULO – A fabricante de massas alimentícias e biscoitos M. Dias Branco (MDIA3) anunciou na noite de terça-feira (28) a aquisição da Latinex, dona da marca Fit Food.

Segundo fato relevante, o valor inicial de aquisição foi de R$ 180 milhões, podendo chegar até R$ 272 milhões, mediante o cumprimento de metas previstas em acordo.

Com a compra, a companhia diversifica seu portfólio e reforça sua presença no setor de comidas saudáveis, além de marcar a entrada nos segmentos de temperos, molhos e condimentos.

A notícia foi bem recebida pelo mercado financeiro. Por volta das 12h30 (horário de Brasília), as ações MDIA3 apresentavam forte alta de 4,2% na Bolsa, negociadas a R$ 33,13.

Em relatório, o Bradesco BBI escreve que, embora o valuation do negócio não tenha sido divulgado, a aquisição parece marginalmente positiva para M. Dias, pois, embora seja relativamente pequena em tamanho (respondendo por 2% a 3% do valor de mercado da M. Dias), permite a entrada da empresa em um segmento de forte crescimento (lanches saudáveis), que também apresenta margens maiores.

Segundo os analistas, M. Dias pode usar da sua distribuição robusta para ampliar a de marcas adquiridas da Latinex, de forma a chegar a mais pontos de venda.

O Bradesco BBI tem recomendação outperform (performance acima da média do mercado) para os papéis MDIA3, com preço-alvo de R$ 40.

“M. Dias continua sendo nossa principal escolha no segmento de comidas e bebidas, pois acreditamos que o mercado ainda não está precificando o benefício do alívio esperado nos custos de insumos, dada a nossa expectativa de que os preços das commodities agrícolas cairão entre o segundo semestre de 2021 e 2024. Vemos a ação negociando a um múltiplo atraente de 11 vezes o preço sobre lucro estimado para 2022, abaixo da média histórica, de 17 vezes”, escreve o BBI.

A notícia também é vista como positiva pela casa de análise Levante, que defende que a companhia poderá utilizar sua estrutura e capilaridade para alavancar as vendas dos novos produtos, além de reforçar sua presença em um segmento de alto crescimento e margens melhores.

“A M. Dias também adquire capital intelectual com a aquisição, visto que o empreendedor Eduardo Moraes, fundador da Latinex, ficará na companhia até pelo menos 2023”, escreve o time de análise.

Apesar da notícia positiva, a Levante não vê impactos relevantes nas ações MDIA3 no curto prazo, visto que o tamanho da aquisição “não é muito relevante” para o tamanho da companhia, que possui valor de mercado de quase R$ 11 bilhões e encerrou o segundo trimestre deste ano com mais de R$ 1,5 bilhão em caixa.

“Porém, esperamos impactos positivos no longo prazo, à medida que a M. Dias diversifica seu portfólio reforçando a presença em novos segmentos de alto crescimento, podendo até realizar novas aquisições”, concluem.

Especialistas certificados das maiores corretoras do Brasil ensinam como ir do básico à renda extra crescente operando como trader na Bolsa de Valores. Inscreva-se Grátis.

Compartilhe