Mineração

Analistas esperam resultados recordes da Vale no 2º trimestre na esteira da valorização do minério

Expectativas são as melhores possíveis para o desempenho da mineradora conforme a demanda global para commodities segue aquecida

SÃO PAULO – A Vale (VALE3) divulga seu resultado do segundo trimestre nesta quarta-feira (27) e o mercado espera por bons números, como mostram os diversos relatórios de prévias divulgados pelas equipes de análise de bancos.

Mais uma vez, o aquecimento da demanda global por commodities deve beneficiar as empresas ligadas a esse setor, conforme antecipou a XP em relatório dos estrategistas Fernando Ferreira e Jennie Li.

“Os preços mais altos do minério de ferro (média de US$ 200 por tonelada, alta de 20% na base trimestral) são o principal destaque do trimestre. Acreditamos que o minério de ferro permanecerá em níveis elevados nos próximos períodos, apesar de espaço para correção, com a forte demanda da China e oferta ainda restrita”, escrevem.

Já os analistas Caio Ribeiro e Gabriel Galvão, do Credit Suisse, expressam em relatório que a Vale é a empresa preferida deles nos setores de mineração e aço, porque os volumes cresceram e a realização de preços também deve vir forte como resultado de maiores prêmios e custos de frete mais estáveis no segundo trimestre de 2021.

A expectativa é de que a mineradora tenha um lucro líquido de US$ 7,973 bilhões, valor 701% superior ao registrado no mesmo período do ano anterior e 44% maior que os US$ 5,54 bilhões reportados nos primeiros três meses deste ano.

Já o Lucro Antes de Juros, Impostos, Depreciações e Amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) é estimado em US$ 11,54 bilhões, o que corresponde a um crescimento de 230% na base anual e de 36% na comparação trimestral.

Para a receita líquida, a expectativa é de que a Vale tenha faturado US$ 16,75 bilhões no trimestre passado, o que significaria uma expansão de 123% sobre o segundo trimestre de 2020 e de 32% na comparação com os três primeiros meses de 2021.

O Credit Suisse tem recomendação de compra com um preço-alvo de US$ 28,00 para os ADRs (na prática, as ações da empresa negociadas na Bolsa de Nova York) da Vale, o que representa uma valorização de 26,3% sobre o patamar de fechamento desta terça-feira (27), em US$ 22,17.

Já o Itaú BBA destacou que espera por sólidos resultados trimestrais para todo o setor devido ao aumento de US$ 33 por tonelada no preço do minério de ferro que ocorreu nos últimos três meses.

PUBLICIDADE

Para os analistas Daniel Sasson, Ricardo Monegaglia e Edgard Pinto de Souza, a Vale deve reportar um Ebitda de US$ 11,75 bilhões, o que representaria um crescimento de 39% na comparação com o trimestre anterior, e de 228% em relação ao valor registrado no mesmo período do ano passado.

O lucro líquido da companhia seria de US$ 6,197 bilhões (alta de 11,7% ante o trimestre anterior e de 522,8% em relação ao segundo trimestre de 2020) e a receita líquida somaria US$ 16,9 bilhões (crescimento de 33,6% na base trimestral e de 124,8% na base anual).

Na opinião da equipe do Itaú, esse desempenho mais forte ocorrerá devido a maiores preços realizados de finos de minério de ferro (obtidos por meio de mineração, britagem e peneiramento), a US$ 193 por tonelada ante US$ 155 por tonelada no primeiro trimestre deste ano.

“Esperamos que os embarques de minério de ferro cresçam 12% no trimestre, devido a melhores fatores sazonais, embora ainda reflitam um movimento de reabastecimento por parte da empresa”, comentam os analistas do Itaú.

O relatório aponta, por outro lado, que a empresa deve ter um maior custo caixa mais alto por tonelada, custos de estoque mais altos, compras de custo mais alto de terceiros e custos de frete mais elevados.

Quem também fez projeções de números fortes para a Vale foi o Bradesco BBI. Na avaliação dos analistas Thiago Lofiego e Isabella Vasconcelos, a mineradora deve ter números recordes, com um Ebitda ajustado de US$ 11,4 bilhões (alta de 37% na base trimestral e de 231% na anual).

O lucro projetado pelo BBI é de US$ 6,957 bilhões (alta de 28,6% na base trimestral e de 614,2% na anual), além de receita líquida de US$ 16,618 bilhões (avanço de 31,4% na comparação com o primeiro trimestre de 2021 e de 121% em relação ao segundo trimestre de 2020).

“Os embarques de minério de ferro foram sazonalmente mais fortes no segundo trimestre, totalizando 74,9 milhões de toneladas, aumento de 14% no trimestre com produção mais forte”, lembrou o Bradesco BBI.

PUBLICIDADE

De acordo com dados compilados pela Refinitiv, a média das projeções dos analistas para o lucro líquido da Vale no segundo trimestre é de US$ 7,525 bilhões. O Ebitda estimado é de US$ 11,6 bilhões e a receita líquida da empresa no período é prevista em US$ 16,895 bilhões.

A Vale acumula sete recomendações de compra, duas neutras e nenhuma de venda ainda segundo a Refinitiv. O preço-alvo médio para as ações VALE3 é de R$ 122,60, valor 7,37% superior ao nível de fechamento dos papéis nesta terça, em R$ 114,18.

O resultado da Vale no segundo trimestre será divulgado nesta quarta-feira (28) após o fechamento da Bolsa.

Transformar a Bolsa de Valores em fonte recorrente de ganhos é possível. Assista a aula gratuita do Professor Su e descubra como.