Em mercados / analise-tecnica

Correção no curto prazo; alta de mais de 40% em meses: o que os gráficos dizem sobre Petrobras e Vale

Rali das ações de commodities ocorrem na esteira do movimento do Ibovespa, que quebrou ontem seu recorde histórico de intraday nos 73.920 pontos, marcado em maio de 2008

Petrobras - Bloomberg
(Bloomberg)

SÃO PAULO - Em meio ao rali do Ibovespa, que quebrou ontem seu recorde histórico de intraday dos 73.920 pontos - marcado em maio de 2008 -, as blue chips dispararam nos últimos dias, levando algumas ações a alcançaram seus alvos gráficos de curto prazo, como Petrobras (PETR4) e Vale (VALE3). Diante do forte movimento, muitos investidores têm se perguntado: ainda há espaço para mais altas ou chegou a hora de uma correção? 

Em uma atualização de sua recomendação para os papéis (veja aqui), o analista técnico Fernando Góes, da Clear Corretora, foi sucinto: embora o alvo mais curto tenha sido alcançado, o que pode abrir espaço para correções pontuais, a tendência de alta segue intacta, com os gráficos semanais desses ativos apontando para objetivos ainda bem distantes. 

No caso de Petrobras, Góes comenta que a ação - depois de cravar o alvo ontem nos R$ 15,00 - ainda pode subir até os R$ 15,80 ou 16,00 nos próximos dias. A partir daí, correções serão bem-vindas e vistas como oportunidades. Um ponto de claro de entrada são os R$ 14,35/R$ 14,00, diz o analista. Isso porque, para ele, a ação tem potencial, em um segundo momento, para buscar alvos bem mais altos no médio prazo. No gráfico semanal, ele aponta como próximos objetivos os R$ 17,00 e R$ 19,00, mas não descarta a possibilidade de que nos próximos meses ou até ano o papel alcance os R$ 21,00, o que representaria um potencial de valorização de 40% frente ao patamar atual.

Já sobre Vale o analista comentou que a ação ON precisaria corrigir até os R$ 34,00/R$ 34,25 para dar nova oportunidade de compra, ou ainda caminhar para uma realização mais forte em direção ao topo anterior nos R$ 32,60. "De uma forma ou outra vai será mais uma oportunidade no "caiu, comprou", disse.

Góes, que desde a faixa dos R$ 28 e R$ 29 vem recomendando a compra da ação, comentou ainda que o gráfico semanal do papel segue muito interessante, dando condições para imaginar o ativo entre os R$ 46,00 e R$ 52,00 nos próximos meses, gerando um ganho potencial de até 47%.

Hoje, as ações da Petrobras caíram 0,80%, a R$ 14,87, depois de subirem 1,13%, a R$ 15,16, na máxima do dia; enquanto isso, os papéis ONs da Vale avançaram 0,48%, a R$ 35,26, após registrarem alta de 1,82%, a R$ 35,73, no melhor momento deste pregão.  

Clique aqui e veja a recomendação completa das ações na página de análise técnica da Clear Corretora.  

 

Contato